Links de Acesso

Escolas católicas de Luanda paralisam aulas


Escolas católicas de Luanda paralisam aulas

Governo Provincial não paga salários como prometido, mas promete resolver o problema o mais breve possivel.

Setenta e quatro escolas católicas adstritas ao Complexo Dom Bosco, em Luanda, paralisaram segunda-feira as aulas para reclamar junto do Governo o prometido pagamento dos salários dos professores.

Num comunicado, a Comunidade Paroquial de São José de Nazaré, adverte que a reclamação vai penalizar mais de 100 mil alunos do município do Sambizanga.

O comunicado, subscrito pelos directores das escolas da Arquidiocese de Luanda, Caxito e Viana, faz notar que a reivindicação será complementada com uma marcha de solidariedade no sábado, 11 de Fevereiro, no Largo das Escolas localizada nas redondezas do Largo da Independência.

O documento dá conta que o Governo da província de Luanda não honrou a promessa, de há dois anos, relativa ao enquadramento salarial dos professores católicos em efectividade desde 2005.

Em declarações à Voz da América, o padre Marcello, da Comunidade dos Salesianos de Dom Bosco, afirmou que as reivindicações são justas e defendeu que as promessas devem ser cumpridas.

“São centenas de pessoas que trabalham para o bem das comunidades e o seu trabalho não é reconhecido”.

Em resposta à ameaça de greve e de manifestação, o governador de Luanda, Bento Francisco Bento, tranquilizou os professores com a promessa de resolver o problema o mais breve possível. O governador reconheceu o empenhamento da Igreja Católica no processo de formação académica em Angola.

XS
SM
MD
LG