Links de Acesso

O "estágio político" de Manuel Vicente

  • Arão Ndipa

Economista angolano Carlos Rosado de Carvalho

Economista angolano Carlos Rosado de Carvalho

Cargo ministerial poderá servir de preparação política e de ligação com empresariado local

Manuel Vicente em "estágio"

A nomeação de Manuel Vicente para o cargo de super ministro de Estado e da Coordenação Económica, reanimou o debate e as análises que apontam o ex-homem forte da Sonangol como o futuro sucessor de José Eduardo dos Santos.

Com efeito embora a presidencia angolana não tenha ainda explicado as razões para a remodelação ministerial, a entrada de Manuel Vicente é vista pela maioria dos observadores como "um estágio" para obter maior experiência governativa.

O economista e jornalista Carlos Rosado de Carvalho disse acreditar que Manuel Vicente terá peso nas acções governativas.

Para ele o governo de Angola está organizado de um modo em que as acções governativas "dependem mais dos nomes que ocupam as pastas do que própriamente das pastas" ministeriais.

Há muitos ministros, disse, que "dependem dos secretários da presidência" pois em muitos casos "os ministros não fazem nada sem falar com o secretário do presidente dessa determinada área".

Para o economista o que conta portanto "são os nomes e Manuel Vicente é um nome de peso".

Devido ao seu conhecimento das empresas pode-se esperar que "ele tenha mais sensibilidade para as questões relacionadas com a competitividade das empresas".

Carlos Rosado de Carvalho disse que embora não acompanhe detalhadamente as movimentações políticas a nomeação de Manuel Vicente "pode ser uma rampa de lançamento para o número dois na lista do partido" para as próximas eleições.

O politólogo Santos Viana é por seu turno de opinião que a nomeação de Manuel Vicente não deverá trazer novidades substancais para os angolanos sobretudo em termos de alterações da política económica.

"Não sei se (a remodelação) se trata de um problema de competência ou um problema político," disse.

"Já passaram tantos que não resolveram os problemas da sociedade portanto isto é mais um arranjo político," acrescentou.

Santos Viana acredita estarem criadas agora as condições para o antigo dirigente da Sonangol ser o sucessor de José Eduardo dos Santos.

"Ele têm vários dossiers e conhece os dinheiros de Angola," disse o analista para quem Manuel Vicente passa agora a estar ao lado do poder político de Eduardo dos Santos.

"É um arranjo político entre eles mas não acredito que algo de jeito possa acontecer para nós," disse.

Ouça a reportagem carregando na barra azul no topo.

XS
SM
MD
LG