Links de Acesso

Filomeno Vieira Lopes contesta "paternidade" MPLA sobre o 4 de Fevereiro

  • Paulo Faria

T

T

O Bloco Democrático põe em causa a ideia de que a sublevação de 4 de Fevereiro em Luanda foi uma iniciativa do MPLA.

04 FEV 2011 - O Bloco Democrático põe em causa a ideia de que a sublevação de 4 de Fevereiro em Luanda foi uma iniciativa do MPLA.

Para o BD, o “o 4 de Fevereiro” foi a primeira acção armada de impacto internacional dos nacionalistas angolanos, precursor do verdadeiro começo da guerra de libertação, que se traduziu no ataque às esquadras da polícia e às cadeias com o intuito de libertar largas dezenas de preços políticos angolanos em consequência de vários processos judiciais movidos pala PIDE.

O BD reconhece, que, não obstante a exaltação nacionalista dos heróis do “4 de Fevereiro”, a exiguidade dos meios, já que as principais armas eram catanas, fez fracassar a operação e permitiu o desabar de uma onda repressiva sobre os bairros suburbanos de Luanda que levou milhares de pessoas para as cadeias e desmantelou quase por completo as redes nacionalistas clandestinas.


O BD partilha a opinião de alguns historiadores que defendem que o “4 de Fevereiro” foi uma acção, de iniciativa local envolvendo elementos filiados em diversas organizações, entre os quais se destacou inequivocamente o Cónego Manuel das Neves, que apanhou de surpresa tanto os líderes do Mpla em Conakri quanto os da UPA em Libreville, facto que não impediu que o Mpla subscrevesse tal acção, declarando ter elementos seus a inspirá-la.

Paulo Faria falou a propósito com Filomeno Vieira Lopes, daquele agrupamento político.

XS
SM
MD
LG