Links de Acesso

UNITA acusa Polícia de violência política no Huambo

  • António Capalandanda

UNITA acusa Polícia de violência política no Huambo

UNITA acusa Polícia de violência política no Huambo

O secretário provincial adjunto da UNITA no Huambo, Vasco Muyombo Vatutuva, acusa o segundo comandante provincial da Polícia Nacional, Assis Neto, de orientar ao seu efectivo à prática de violência política contra a oposição.

03 FEV 2011 - O secretário provincial adjunto da UNITA no Huambo, Vasco Muyombo Vatutuva, acusa o segundo comandante provincial da Polícia Nacional, Assis Neto, de orientar ao seu efectivo à prática de violência política contra a oposição.

Em declarações à Voz da América, o político disse que o segundo comandante da Polícia tem sido um pau mandado do actual governador do Huambo, Faustino Muteka que, pretende ganhar as próximas eleições previstas para 2012, usando a violência e intimidação.

Em causa está a retirada do material de propaganda da Juventude do Galo Negro, durante o jogo de futebol que colocou frente a frente o Recreativo da Caala e o São George da Etiópia, domingo último.

“ Nós pensamos que a polícia é apartidária, as Forças Armadas são apartidárias, quando eles têm de agir em função de uma orientação do regime. Portanto aqui, o senhor Muteka terá de ser ele a responder sobre isso.”

Vatutuva reivindica o respeito pelo pacto dos direitos civis e políticos subscritos pelas autoridades angolanas.

“ Quando temos de assistir permanentemente companheiros nossos nas cadeias por questões políticas, não fica nada bem;” lamentou aquele dirigente.

“ Portanto, precisamos de encontrar caminhos para podermos trabalhar. O MPLA trabalha como puder trabalhar, mas também crie espaço para a UNITA.”

Numa conversa telefónica, Assis Neto reconheceu a recolha do material de campanha, mas negou o envolvimento do governador do Huambo.

Assis Neto disse que a sua acção visava prevenir confrontos entre os militantes do MPLA e da UNITA que, disputavam o mesmo lugar no estádio.

XS
SM
MD
LG