Links de Acesso

Forças somalis e etíopes preparam o avanço contra a al-Shabab


Depois de terem empurado as forças rebeldes para fora de Mogadíscio, as forças governamentais somalis com apoios externos preparam o avanço nas regiões centro e su do país

Depois de terem empurado as forças rebeldes para fora de Mogadíscio, as forças governamentais somalis com apoios externos preparam o avanço nas regiões centro e su do país

Regiões de Bay e Bakool vão ser o palco de novas confrontações que visam a reconquista de cidades sob o controlo dos rebeldes

As forças governamentais somalis apoiadas por tropas etíopes prevêem avanços sobre as regiões de Bay e Bakool, dois conhecidos redutos do grupo de milícias da al-Shabab.

Mohammed Yusuf da VOA reporta entretanto que esse grupo islâmico prometeu resistir a toda e qualquer intervenção estrangeira.

Na região somali de Gedo fronteiriça com a Etiópia as tropas governamentais têm tido um papel defensivo nos últimos 8 meses. Mas depois do anúncio da chegada de mais militares etíopes, um deputado somali disse a VOA que as forças estão prontas para garantir a segurança na região e avançar para a conquista das regiões vizinhas de Bay e Bakool.

Um alto oficial militar somali em Gedo afirmou que as forças somalis esperam poder reduzir a porção de territórios sob o controlo da al-Shabab.

Existe uma operação em curso com vista a reforça os planos do Governo Federal de Transição com vista a assumir o controlo de outras regiões. Gostariamos conquistar outras cidades na região de Gedo e em outras regiões com o apoio das forças do Quénia, da Etiópia e da AMISOM que estão baseadas em Mogadíscio.

Um responsável local da cidade de Luq na região de Gedo disse a VOA que não confirmava e nem desmentia a presença de tropas etíopes na urbe. Mas testemunhas disseram que as tropas chegaram esta semana e continuavam em Luq pelo menos todo o dia de ontem.

Mas estes avanços não são novos no panorama somali. Forças etíopes têm atravessado várias vezes a fronteira comum na perseguição de milícias da al-Shabab e outros grupos suspeitos de aliança com rebeldes etíopes – a Frente Nacional para a Libertação de Ogaden.

A al-Shabab pretende derrubar o governo somali internacionalmente reconhecido. Esse grupo islâmico controla o sul e o centro da Somália, e pensa-se que tem perdido terreno nos últimos meses. As forças somalis e da União Africana assumiram o controlo completo de Mogadíscio no início do mês de Janeiro, isso enquanto as forças etíopes recuperavam a cidade de Beledweyne na região de Hiraan.

Na Segunda-feira a al-Shabab proibiu o acesso nas áreas sob o seu controlo da Cruz Vermelha Internacional, uma das poucas agências humanitárias a operar no terreno. O grupo islâmico acusa o CICR de distribuir comida contaminada e de trair a confiança da população.

A Cruz Vermelha Internacional tinha suspenso temporariamente no inicio do ano as suas operações no sul e centro da Somália, afirmando que as autoridades locais tinham bloqueado a distribuição de víveres e de sementes.

XS
SM
MD
LG