Links de Acesso

Exploração ilícita de diamantes continua em Malanje

  • Isaías Soares

Exploração ilícita de diamantes continua em Malanje

Exploração ilícita de diamantes continua em Malanje

A Polícia Nacional apresentou hoje em Malanje, 12 cidadãos nacionais detidos presumivelmente pela prática da exploração ilegal de pedras preciosas.

A exploração ilícita de diamantes na província de Malanje contínua, apesar das restrições impostas pelas autoridades angolanas.


O Comando Municipal de Caculama da Polícia Nacional apresentou esta quinta-feira, naquela localidade, a cerca de 60 quilómetros da cidade de Malanje, 12 cidadãos nacionais detidos presumivelmente pela prática da exploração ilegal de pedras preciosas.

Os indivíduos encurralados no rio Banje, comuna de Caxinga, a 10 quilómetros da sede de Caculama, foram encontrados em posse de meios para o garimpo artesanal do referido recurso mineral nacional.


O porta-voz do Comando provincial da corporação, superintendente Estêvão Francisco disse esta quinta-feira, que a micro – operação realizada naquela localidade se enquadra no projecto “Kitululuka”, que se traduz literalmente na língua portuguesa por Tranquilidade e, é extensivo aos 14 municípios da província de Malanje.

“A operação visa principalmente a criminalidade, bem como a sinistralidade rodoviária, nesse aspecto também acabamos de ver ou assistir alguns cidadãos detidos em função de uma micro – operação realizada pela forças policiais do Comando Municipal de Caculama, que ocorreu no rio Banje, que fica localizado a comuna de Caxinga. Este rio dista a 10 quilómetros da sede da Caculama, lá as forças policiais estão a trabalhar e conseguiram desmantelar um grupo de garimpeiros, foram detidos e estão sob custodia da polícia, bem como a apreensão de alguns meios que eles utilizam para o garimpo artesanal. É mais uma vez, um resultado fruto do trabalho da operação Kitululuka”.

A ausência de empregos e a ganância pelo lucro fácil são algumas razões que incitam a exploração de diamantes por muitos cidadãos angolanos sem as mínimas condições de sobrevivência.


Silas Jacinto, 40 anos e pai de 5 filhos é um dos detidos pela Polícia Nacional em Caculama. O arrependimento sempre chegou depois da alçada da polícia.

“É mesmo o custo de vida é por isso que estamos a tentar procurar a vida nesta parte. Não estou legalizado, mas como Estado diz, nós temos que cumprir e o conselho é não repetir fazer esse trabalho”.

Alguns integrantes do grupo de garimpeiros se dedicam também ao roubo de animais domésticos e com prioridade para o gado suíno, como testemunhou no local o Eduardo Manuel, 16 anos.

Os municípios de Malanje localizados no corredor da Baixa de Kassanje na sua maioria possuem diamante e, no passado e actualmente têm sido regiões cobiçadas por milhares de cidadãos estrangeiros com relevância os oeste africanos.

Em Cangandala, a uma sociedade entre a Empresa Nacional de Diamantes (Endiama EP), com 33 por cento das acções do grupo, a Mineralstar, com 25 por cento e a Sovinhos com 42 por cento, poderá começar em breve com acções de prospecção, pesquisa e reconhecimento de depósitos secundários de diamantes.


O contracto assinado recentemente em Luanda, prevê além da exclusividade da exploração dos jazigos secundários descobertos, a sua comercialização numa área de 3 mil quilómetros quadrados.

No fim de 3 anos, a Endiama espera por uma reserva economicamente viável em diamantes e com a inserção de 50 ou 70 trabalhadores.

XS
SM
MD
LG