Links de Acesso

Jornalistas e activistas políticos etíopes condenados por "terrorismo"


Jornalistas e activistas políticos etíopes condenados por "terrorismo"

Jornalistas e activistas políticos etíopes condenados por "terrorismo"

Tribunal impõe duras penas de prisão a jornalistas independentes e políticos da oposição

Um tribunal etíope condenou três jornalistas e dois activistas da oposição a longas penas de cadeia por ofensas relacionadas com o terrorismo.

O blogger da Internet Elias Kifle foi condenado à revelia a prisão perpétua. Kifle é o editor do sítio na Internet sediado nos Estados Unidos Ethiopian Review, que com frequência critica asperamente o governo do primeiro-ministro Meles Zenawi.

Um painel de três juízes condenou a semana passada Kifle, dois jornalistas locais e dois activistas políticos de terem violado a legislação etíope anti terrorista.

As acusações incluíam a conspiração com o partido político da oposição Ginbot Seven, que a Etiópia considera uma organização terrorista.

Os dois jornalistas locais receberam penas de 14 anos. O advogado de Reeyot Alemu, manifestou desapontamento pela dureza da sentença contra o seu cliente, uma vez que não foi cometido nenhum acto terrorista.

“Não esperava esta sentença. Foi apenas uma tentativa. Não foi cometido qualquer crime terrorista. É um jornalista profissional”.

No julgamento, a acusação apresentou mensagens de correio electrónico e outros documentos como prova de que os dois jornalistas conspiraram para organizar actos de terrorismo.

O Comité para a Protecção dos Jornalistas divulgou um comunicado indicando que as condenações foram baseadas em artigos sobre a dissidência política.

O CPJ acrescentou que pelo menos 10 jornalistas se encontram nas cadeias etíopes, incluindo dois Suecos recentemente condenados a 11 anos de cadeia por actos de terrorismo.

Os Suecos foram detidos em Junho passado na região de Ogaden quando acompanhavam elementos armados de um grupo rebelde ilegalizado.

Após a sentença, o governo sueco emitiu uma declaração indicando a destacar a autenticidade dos jornalistas, e apelando à sua libertação. Um porta-voz etíope afirmou que o governo não tem remorso quanto às penas aplicadas.

Um outro blogger etíope, Eskinder Nega, enfrenta acusações semelhantes e pode vir a ser condenado à morte.

Nega é um de 24 réus de um grupo que inclui vários jornalistas no exílio e dois destacados políticos oposicionistas que são igualmente acusados de envolvimento com ilegalizado grupo Ginbot Seven.

XS
SM
MD
LG