Links de Acesso

África: Organizações regionais mais importantes que União Africana


África: Organizações regionais mais importantes que União Africana

África: Organizações regionais mais importantes que União Africana

Organizações regionais como a SADC vistas como o "motor" da unidade e na resolução de problemas

17 Jan 2011 -Organizações regionais, tais como a SADC, e não a União Africana, vão jogar um papel preponderante na criação da tão apregoada unidade africana.

Esta é a opinião de um perito moçambicano que a Voz da América entrevistou para com ele discutir a próxima cimeira daquela organização continental.

Cerca de 25 chefes de estado e governo dos 53 países membros deverão participar nesta cimeira que se vai iniciar com uma discussão sobre valores comuns como direitos humanos e direitos dos cidadãos.

Berthe Constatinos o presidente do conselho consultivo da União Africana para questões de corrupção não parece muito optimista, afirmando que até agora a organização continental não tem respeitado as suas promessas e isso causa problemas de credibilidade.

“A União africana está em crise porque muitas das convenções que deveriam assegurar o desenvolvimento democrático e os direitos dos povos não foram ratificadas e se foram ratificadas nunca foram implementadas,” disse ele.

Mas o Dr. António Gaspar, do Instituto Superior de Relações Internacionais em Maputo, Moçambique, diz que o facto de a cimeira estar a decorrer sobre o lema de valores pode ter um impacto positivo.

O reconhecimento por parte da organização de valores ligados à boa governação, como a transparência e os direitos humanos tornarão mais fácil a qualquer pessoa fazer um julgamento sobre os países membros da organização. Para o Dr. António Gaspar isso só poderá ter um efeito positivo.

Mas se há opiniões diferentes sobre o impacto desses valores na realidade africana, há também opiniões diferentes sobre a própria unidade africana.

Em cimeiras anteriores o dirigente líbio Muammar Gaddafi pressionou para a criação de uma união económica e financeira do continente, algo que contou com o apoio de alguns dirigentes mas que muitos consideram de totalmente irrealista.

O Dr. Gaspar disse à Voz da América que é irrealista falar-se de “Estados Unidos de África” devido ás enormes diferenças económicas que existem entre países africanos. Na União Africana a corrente que está a ganhar terreno é aquela que defende um caminhar lento para a união que deve passar pelo fortalecimento de organizações regionais.

Na verdade cada vez mais organizações regionais, conhecidas pelo nome de RECs, começam a assumir um papel preponderante quer em termos de unidade económica quer mesmo na resolução ou pelo menos mediação de conflitos.

O Dr. António Gaspar é de opinião que essas RECS vão ser o motor da unidade africana fazendo notar que são organizações como a SADC ou a CEDEAO que “conhecem a realidade no terreno” e que têm também jogado um papel preponderante na busca de soluções para crises em países nas suas regiões.

Como exemplo Gaspar fez notar os esforços da CEDAO na busca de uma solução para a crise na Costa do Marfim.

Ouça o debate com o Dr. António Gaspar. Fez parte do nosso programa Temas e Debates

XS
SM
MD
LG