Links de Acesso

Centenas de desalojados em Malanje por causa das chuvas

  • Isaías Soares

Coordenador adjunto da Protecção Civil de Malanje, Venâncio Eduardo

Coordenador adjunto da Protecção Civil de Malanje, Venâncio Eduardo

A estrada que liga Malanje ao município do Mussende, Kwanza – Sul, encontra-se parcialmente obstruída nas imediações da Missão dos Frades Capuchinhos.

26 Jan 2011 - Centenas de pessoas estão desalojadas em Malanje, devido às chuvas torrenciais desta semana no município da capital da província.

Há dezenas de casas destruídas e 180 pessoas a viver na rua e a dormir ao relento, segundo dados provisórios fornecidos quarta-feira, pelo coordenador adjunto da Comissão Provincial de protecção civil, Venâncio Eduardo. Os primeiros apoios poderão surgir nas próximas horas.

“A Comissão Provincial de Protecção Civil está atenta a isso, esté a envidar todos os esforços no sentido de criar condições para acudir os sinistrados”, disse Eduardo.

Algumas famílias afectadas na zona 14 do bairro do Ritondo, a norte da cidade de Malanje - onde uma lagoa utilizada na época seca para o fabrico de adobes transbordou - contam o cenário actual, que ameaça outras residências ao redor.

Um residente, que se identificou apenas como senhor Neto, precisou que “foi construído tudo e o terreno está fechado, quando a chuva vai batendo perto das casas, com aquelas águas que vêm pelas valas tudo vem se empurrar aqui, por isso é que estamos a pedir apoio do governo para fazer com que se tomem medidas em como escoar essas águas aqui, para ver se nós nos sentimos melhor”.

O mesmo acontece com Domingas Bizerra que considerou a situação precária. “Porquê? Por que a chuva está a nos ameaçar, as casas não são só que começaram a cair desta vez, as casas já vêm a cair desde Novembro. Com essa chuva estremeceu toda população aqui do bairro dos Kangumbi”.

Parte das famílias procuraram asilo em residências de vizinhos.

Antes da independência nacional de 1975 a região possuía um canal para escoamento das águas fluviais da cidade alta para o rio Malanje, o êxodo populacional deu origem a um novo bairro em vésperas das primeiras eleições gerais em Angola. O esgoto foi retirado e a lagoa ganhou corpo.

O coordenador adjunto da comissão de protecção civil, Venâncio Eduardo admite apenas uma solução: a evacuação dos moradores, uma tarefa nada fácil quando a procura da casa própria é maior.

“Aqui tinha uma manilha que dava passagem de água até ao rio Malanje, aí junto à Lagoa Bar, então, foi interdita, fecharam aquilo. E com as casas que estão ali, a manilha que lá existia foi retirada para colocarem casa de construção precária e como é que fica? pergunta Venâncio Eduardo. Prossegue dizendo que "o esforço tem que ser conjunto, evacuar a população de lá e colocar para o outro lugar, para colocar ali a saída de água e não é um trabalho fácil”.

A estrada que liga a cidade de Malanje ao município do Mussende, Kwanza – Sul, encontra-se parcialmente obstruída nas imediações da Missão dos Frades Capuchinhos, no bairro da Catepa em consequência do desabamento da passagem hidráulica e da erosão na mesma via.

As previsões meteorológicas para está quarta-feira apontam a possibilidade de chuva hoje e amanhã com os termómetros a marcarem entre os 18 aos 26 graus célsius.

XS
SM
MD
LG