Links de Acesso

Ex Combatentes da Renamo imobilizados em Nampula

  • Faizal Ibramugy

Perdiz sem pio? Renamo tem grave crise financeira

Perdiz sem pio? Renamo tem grave crise financeira

Veteranos foram a reunião com Afonso Dhlakma e agora não têm meios para regressarem aos seus locais de origem

Cerca de 400 antigos guerrilheiros da Renamo encontram-se imobilizados na cidade de Nampula, no norte de Moçambique, para onde foram convocados para participar num encontro pelo dirigente do partido Afonso Dhlakama.

Os antigos guerrilheiros encontram-se impossibilidade de regressar aos seus locais de origem

Neste momento, os ex-guerilheiros encontram-se impossibilitados de voltar as suas origens devido a falta de fundos para custear despesas de transporte, por isso mesmo encontram-se retidos na delegação do seu partido em Nampula e há crescentes sinais de descontentamento no grupo.

Fontes oficiais da Renamo disseram que os guerrilheiros tinham as suas despesas pagas mas que se recusavam a partir porque querem o início de manifestações anti-governamentais que têm vindo a ser prometidas por Dhlakama há varios meses.

No entanto a Voz da América em Nampula, teve acesso a uma fita magnética, onde o líder da Renamo Afonso Dhlakama aparece a dizer que a Renamo está a ser devastada por uma crise financeira que a impede de sustentar suas actividades.

De acordo com o mesmo registo, Afonso Dhlakama diz que o seu partido não tem dinheiro para efeitos de abastecimento de viaturas que o iriam levar ao sul do país, onde agendou encontros com desmobilizados.

A referida viagem deveria ter-se iniciado Quinta-feira.

A Voz da América visitou Quinta-feira de manhã o local onde se encontram em Nampula os antigos guerrilheiros da Renamo tendo testemunhado as péssimas condições em que estes se encontram.

Uns a dormir de cima de malas de viagem outros em esteiras improvisadas, mesmo com a chuva que cai nos últimos dias.

Alguns apresentam sintomas de constipação e outros clamavam de fome.

Contudo ningué quis falar á nossa reportagem.

"Ninguém está autorizado a falar", disseram alguns desmobilizados.

Sabemos que o grupo dos ex-guerilheiros planifica cercar a residência do seu líder para impedir a sua saída.

Ouça a reportagem



MDM em Nampula também afectado por divisões.

Em Nampula há também divisões dentro do Movimento Democrático de Moçambique, o segundo maior partido da oposição.

Militantes que se opõe ao actual delegado político provincial Assane Rachide alegam que milhares de membros têm estado a abandonar o partido devido á sua "nomeação".

Os desertores do MDM alegam que para além de fomentar o tribalismo e regionalismo no seio do partido, Assane Rachide, natural da província central de Sofala, não tem capacidade de liderança.

Na manhã desta quinta-feira,o grupo emitiu um comunicado de imprensa, através do qual anuncia o alegado desaparecimento do visado com umna viatura do partido algo descrito como preocupante pelos restantes membros daquele
partido.

Segundo o comunicado, tudo começou no dia 21 de Dezembro passado, quando o visado, simulou uma deslocação aos distritos, supostamente em missão de serviço, levando consigo uma viatura do partido, da marca
Isuzu KB.

“ Tentamos entrar em contacto com ele, sem sucessos, consultamos todosos distritos e em nenhum deles fez-se presentes e por isso concluímos que ele fugiu com a viatura do MDM”, refere o comunicado.

O mesmo comunicado sublinha ainda que Assane Rachide não foi eleito.

Isso foi desmentido pelo chefe de Mobilização e Organização do MDM em Nampula, Rachide Carvalho que negou também que o seu delegado tenha fugido
da província.

Carvalho disse que o mesmo se encontra envolvido num processo de revitalização dos órgãos de base do partido acreecentando que Assane Rachide foi eleito numa conferência provincial do Partido realizada em Julho do ano passado.

Segundo fontes independentes o MDM em Nampula encontra-se entre duas alas , uma liderada pelo antigo delegado, Mário
Albino e a outra, encabeçada pelo actual delegado, Assane Rachide.

Ouça a reportagem

XS
SM
MD
LG