Links de Acesso

Malnutrição é "vergonha nacional" da Índia - diz primeiro-ministro


Adolescente indiano dando de comer a irmã no bairro de Hyderabd. A India está entre os 20 paises mas afectados pela malnutrição no mundo

Adolescente indiano dando de comer a irmã no bairro de Hyderabd. A India está entre os 20 paises mas afectados pela malnutrição no mundo

Manmohan Singh diz que o facto de 42 por cento das crianças do país estarem subnutridas deve preocupar a todos os indianos

O primeiro-ministro da Índia considerou de vergonha nacional a malnutrição no seu país, isto numa altura em que uma pesquisa indicou que 42 por cento de crianças indianas estão subnutridas.

A Índia é há muito conhecida no mundo como um dos países do fundo da tabela em matéria de alimentação. A repórter da VOA em Nova Deli, Anjana Pasricha diz que uma aliança de parlamentares, grupos de voluntários e eminentes figuras públicas propôs mudar esta situação.

O primeiro-ministro Manmohan Singh disse hoje em Nova Deli que os níveis da fome continuam altos na Índia apesar do impressivo crescimento económico.

Singh presidiu a cerimónia de publicação do inquérito Malnutrição e Fome no país, um documento que espelha a dimensão da subnutrição no país.

“O que me preocupa, e o que deve preocupar todos os cidadãos esclarecidos é que 42 por cento das nossas crianças ainda estão abaixo do peso normal… Esta é uma ocorrência inaceitável, e repito, o problema da malnutrição é um caso de vergonha nacional.”

O inquérito foi realizado pela fundação Naandi para Aliança de Cidadania contra a Malnutrição, uma associação não lucrativa que congrega grupos de voluntários, deputados de vários partidos, e proeminentes figuras públicas, e que considera ser necessário dar maior atenção ao problema da subnutrição.

O primeiro-ministro disse que esse inquérito é ao mesmo tempo “preocupante e encorajador”, ao mostrar um decréscimo da prevalência de malnutrição. Contudo o abrandamento desse flagelo é lento, apenas menos de 3 por cento por ano ao longo dos últimos 7 anos.

A pesquisa mostra que muitas crianças na Índia nascem com baixo peso. Outras o perdem a partir dos dois anos. Mas a maioria das mães desconhece o mal que afecta as suas crianças – mais de 90 por cento das inquiridas disse que nunca ouviram falar da malnutrição.

Algumas das descobertas não são no entanto novas. A Índia ocupa a 67ª posição entre 84 países no Índice Global da Fome 2010, mesmo abaixo de muitos países da África subsaariana.

O jovem deputado B.J. Panda disse que a pesquisa identificou o que funciona e o que não funciona.

“Descobrimos que quando os almoços são servidos pelas ONGs locais ou mesmo por grupos de mulheres cujas crianças são assistidas por esses grupos, há um maior grau de eficiência do que dos serviços governamentais.”

Resultados como esses serão usados na criação de programas mais eficientes de mitigação da fome em três distritos nos Estados de Rajasthan, Madhya Pradesh e Orissa. E se forem bem-sucedidos serão alargados a mais outros Estados.

Os políticos indianos admitem que o acesso a comida continua a ser um desafio de uma larga franja da população apesar de várias acções do governo que incluem o maior programa escolar-alimentar gratuito do mundo.

O número elevado de indigentes forçou o governo a preparar uma ambiciosa proposta de lei sobre a Segurança Alimentar, que prevê alimentos baratos para dois terços dos 1,2 mil milhões de indianos.

O primeiro-ministro Manmohan Singh disse que o novo inquérito aponta as vias que deverão permitir a adopção imediata da proposta de lei pelo parlamento. Mas críticos receiam que ela poderá encarar os mesmos problemas que afectam outros programas – a pesada burocracia e corrupção.

XS
SM
MD
LG