Links de Acesso

Nampula: Sargento da polícia acusada de ajudar fuga de somalis

  • Faizal Ibramugy

Refugiados somalis num campo em Moçambique

Refugiados somalis num campo em Moçambique

Uma mulher sargento da polícia, foi presa acusada de ter ajudado somalis a fugirem do campo de refugiados de Marratane

A polícia em Macossa, Manica, centro de Moçambique, deteve um grupo de 33 somalis nas matas, mas metade acabou por fugir dos agentes, anunciou fonte policial, em Maputo.

O grupo, que fugira inicialmente do centro de acolhimento de refugiados de Marratane, em Nampula, fazia-se transportar em duas camionetas para tentar atravessar a fronteira para o vizinho Zimbabué e posteriormente para a África do Sul.

Este é o terceiro grupo de ilegais somalis detido, após a captura, recentemente, de dois grupos, em ocasiões diferentes, nos distritos de Macossa e Guro no norte de Manica.

51 refugiados morreram, recentemente, quando um barco tanzaniano com 130 ilegais somalis e etíopes a bordo, naufragou ao largo da costa de Cabo Delgado.

51 refugiados morreram, recentemente, quando um barco tanzaniano com 130 ilegais somalis e etíopes a bordo, naufragou ao largo da costa de Cabo Delgado.

Em Nampula, uma mulher sargento da polícia foi acusada de ter ajudado seis somalis a fugirem do campo de refugiados de Marratane.Em conexão com o caso, uma agente da polícia, que responde pelo nome de Fátima Sebastião, recentemente patenteada como sargento-principal da polícia, está detida.

Ela é acusada de ter ajudado os seis estrangeiros a fugir do centro de Marratane. Aliás, Fátima Sebastião forneceu abrigo, na cidade de Nampula, para os albergar enquanto os refugiados tratavam da sua viagem para África do Sul, destino pretendido pelos somalis, disse Inácio Dina, porta-voz da polícia em Nampula.

XS
SM
MD
LG