Links de Acesso

Arcebispo do Lubango apela ao respeito pela oposição

  • Teodoro Albano

Dom Gabriel Mbilingui descreve como "incompetência" a falta de resolução do caso da Rádio Ecclésia

A voz da oposição tem que ser respeitada e ouvida, disse o arcebispo do Lubango e presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Prínicpe Dom Gabriel Mbilingui.



O arcebispo insurgiu-se contra a inabilidade do governo em resolver a questão de atribuição de direitos de transmissão por todo o país à Rádio Eclésia, um processo que se arrasta há vários anos.

Segundo o prelado católico, o país precisa de uma verdadeira instauração da democracia e isso passa pelo reconhecimento e respeito pelas diferenças, do ponto de vista de pensamento e de opinião, factores que qualifica de importantes em processos democráticos.

Dom Gabriel Mbilingui toma como exemplo as propostas partidárias da oposição que devem ser tidas em conta pelo partido no poder, porque elas representam uma franja importante da sociedade.

“O importante mesmo no sistema democrático é não é só reconhecer a existência de alguém que pensa diferente de mim, mas respeitar esta sua opinião essa sua posição, porque ela corresponde a uma boa parte do cidadão angolano,” disse.

Dom Gabriel Mbilingui mostrou-se, por outro lado, agastado com o problema da extensão do sinal da Radio Ecclésia no país e atribuiu culpas ao governo que se tem mostrado “!incompetente” para resolver o problema da regulamentação da lei de imprensa.

“Como é que a autoridade competente em relação a este ponto da Rádio Ecclésia se mostra - passe a expressão - verdadeiramente incompetente?” interrogou.

O arcebispo disse que a situação deixa a igreja “perplexa”.

Aquele responsável apela a uma maior clareza por parte do executivo. Para o arcebispo as autoridades deviam ser claras se não querem a possa transmitir por todo o país.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG