Links de Acesso

O advogado vai aguardar o julgamento em liberdade.

O presidente provincial da Ordem dos Advogados de Angola em Cabinda foi liberto na tarde desta quarta-feira, 14, dois meses após ter sido detido na fronteira com a República do Congo Democrática, precisamente no dia em que estava prevista uma marcha contra as violações de direitos humanos e a gestão da governadora Aldina Matilde da Lomba.

O advogado foi posto em liberdade mediante termo de identidade e residência e deverá apresentar-se às autoridades quinzenalmente, enquanto decorre a instrução do processo para posterior julgamento.

Não há mais detalhes sobre a libertação de Arão Tempo, que por indicação da sua defesa não quer se pronunciar, mas sabe-se que um cliente dele, detido na ocasião, também foi colocado em liberdade.

Entretanto, o activista José Marcos Mavungo, organizador da marcha prevista para 14 de Março mas abortada pelas autoridades, continua detido e, tal como Arão Tempo, com problemas de saúde.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG