Links de Acesso

Antigos trabalhadores da Texmoque bloqueiam instalações e ameaçam com protestos

  • Adina Sualehe

Trabalhadores da Texmoque

Trabalhadores da Texmoque

Reclamam bónus, aumentos salariais e férias que não foram pagas ao Governo moçambicano.

Os trabalhadores da antiga fábrica de tecidos Texmoque, em Nampula, despedidos há 10 anos, continuam a reivindicar o pagamento de parte de salários, bónus, férias e outras dívidas.

Nesta segunda-feira, centenas daqueles trabalhadores concentraram-se no local onde funcionava a fábrica para exigir do Governo uma solução urgente da situação.

Eles bloquearam as principais entradas da antiga fábrica e ameaçam ficar lá até que haja uma solução.

Depois de um longo processo, o Governo indemnizou muitos dos mais de mil trabalhadores, mas ficaram de fora vários direitos, como bónus, aumentos salariais e férias.

Desse total há um grupo de 130 trabalhadores que não recebeu qualquer indemnização.

Agora, os trabalhadores voltam à carga e acusam o Instituto de Gestao de Empresas Participadas pelo Estado (Igepe) de ignorar as suas preocupações, ao não responder uma carta enviada a 5 de Janeiro.

Por isso, bloquearam as entradas onde funcionaa nova Texmoque, do grupo Metil.

O Igepe, entretanto, diz ter incluído o pagamento das férias na indemnização, mas os trabalhadores têm outra versão

Astam Ossufo, Inspector Provincial do Trabalho em Nampula, diz que o processo está no Igepe e que o Governo local aguarda uma equipa de Maputo para encontrar uma solução.

De recordar que a situação dos antigos trabalhadores da Texmoque já foi analisada pela Assembleia da República, mas os problemas continuam.

A fabrica Texmoque foi vendida ao grupo Metil que opera há três anos no mesmo local no fabrico de cataplanas.

XS
SM
MD
LG