Links de Acesso

Huambo: Violência entre elementos da UNITA e do MPLA faz 1 morto e vários feridos

  • António Capalandanda

Vista da cidade de Huambo

Vista da cidade de Huambo

Os incidentes começaram na sexta-feira à noite prolongando-se pela madrugada de sábado.

Um morto e vários feridos é o balanço dos confrontos entre militantes do MPLA e da UNITA, ocorridos no município do Londuimbali, província do Huambo.
Os incidentes começaram na sexta-feira à noite e prolongaram-se até sábado de manhã.

O maior partido na oposição acusa o MPLA de estar por detrás da morte de um dirigente da sua organização politica.
Delfino Bazilio Catumbela, secretário municipal da UNITA no Londuimbali disse à Voz da América que, o incidente terá sido organizado por Filipe Watala secretário do MPLA do sector da Cuqueta e Justino Ndala, secretário comunal da JMPLA no Londuimbali, para impedir a implantação da UNITA no sector da Cuqueta.

Os confrontos começaram na noite de sexta-feira e terminaram na manha de sábado por volta das 6 horas e 30 minutos, com a morte de Feliciano Epalanga, secretário comunal do Londuimbali para área de de administração e finanças do maior partido na oposição.
Catumbela, referiu ainda que, no dia 9 dia de Maio, através duma nota informativa número 9/2013, endereçada a Administração Municipal do Londimbali, Comando Municipal da Policia Nacional e Serviços de Informação e Segurança de Estado, o seu partido informou as autoridades locais que pretendia realizar no dia 11 do corrente, um comício na sede da Cuqueta, que terminaria com içar da bandeira na localidade.

No dia seguinte, 10 de Maio, pelas de 19 horas, disse ainda, um grupo de militantes do MPLA, munidos com paus, pedras e catanas, arrancou a tribuna que tinha sido montada naquele mesmo dia para o comício do 11, e mais tarde o mesmo grupo deslocou-se numa residência onde se encontravam hospedados alguns militantes da UNITA, vindos da sede município, conforme explicou Domingos Nene, uma das testemunhas.
“ Foram la partiram todas as bacias, panelas, despejaram nossa água e fuba, dormimos a fome e chegaram ao ponto de esmagar a nossa motorizada” contou Domingos acrescentando que “ depois foram se embora e mais tarde vieram de novo foi ali que começou a surra que só terminou quando eram 23 horas e ficaram feridas varias pessoas”.

Ainda segundo a mesma fonte,or volta das 6 horas e 30 minutos de sábado, um grupo de 100 membros do MPLA e da JMPLA, dirigiu-se a casa de Agostinho Vila, secretário da UNITA do sector Cuquete, onde se encontrava Feliciano Epalanga. Marcolino é irmão de Epalanga, ele presenciou o assassinato do seu companheiro, e disse à VOA: “ Quando o meu irmão saiu de casa, eles baterem com pedra na cabeça, assim que ele caiu começaram a bater com paus na cabeça.”
Macolino disse ainda que, depois do seu irmão ter perdido a vida tentou remover o cadáver, mas foi também espancado.
“ Quando tentei remover o corpo para lugar seguro, um homem que estava a bater o meu irmão laçou o pau na minha nuca e esquivei e atingiu-me no joelho e depois apanhou uma pedra e bateu-me novamente no joelho.”

A polícia do Londuimbali disse ter conhecimento da ocorrência, mas ainda não suspeita de ninguém. Feliciano Epalanga de 42 anos de idade, foi desmobilizado em 2002 e deixa 11 filhos. O corpo de Epalanga foi transladado para a morgue do hospital do Alta Hama e apresenta sinais de esfaqueamento no estomago.
O dirigente da UNITA no Londuimbali disse o clima é de tensão na Cuqueta e várias dezenas de militantes do seu partido na localidade abandonaram as suas residências e fixaram em montanhas e aldeias mais seguras.

Tentamos sem sucesso ouvir os responsáveis locais do MPLA.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG