Links de Acesso

UNITA diz que intolerância visa provocar reacção violenta

  • Fernando Caetano

Unita Secretário geral da UNITA Franco Marcolino Nhany

Unita Secretário geral da UNITA Franco Marcolino Nhany

Secretário Geral do partido do Galo Negro diz que objectivo é criar instabilidade para inviabilizar eleições

O secretário geral da UNITA Franco Marcolino Nhany disse que os actos de intolerância política contra os seus militantes destinam-se a provocar uma reacção violenta para ser usada como pretexto para suspenfer as eleições.

"O país vive uma situação extremamente difícil do ponto de vista económico, financeiro, social e político”, disse Nhany em Kwanza Sul, onde esteve para uma visita de três dias e durante a qual responsabilizou o Governo pela actual crise financeira e económica do país.

"Tanto os quadros como a população do Kwanza Sul não têm a mínima dúvida sobre quem é o culpado e quem é o responsável por esta situação, mas é indubitávelmente o Executivo do senhor José Eduardo dos Santos ”.

Segundo Nhany, eles "esbanjaram dinheiro do petróleo, construíram riqueza e luxo, vivem na opulência e nos píncaros da abastança, portanto, arrebentaram com as reservas do país com os proventos do petróleo”, denunciou o secretário-geral da UNITA.

“Por isso, José Eduardo dos Santos e o MPLA estão com medo das eleições”, acrescentou Marcolino Nhany que disse ser intenção do MPLA inviabilizar as eleições, que é “uma das tácticas a intolerância política, a violência e crimes contra os militantes da UNITA, contra o nosso património, destruição dos nossos símbolos portanto, de provocação em provocação para ver se de facto nós cedemos a chantagem e respondemos a violência pela violência”.

O responsável do principal partido da oposição angolana concluiu dizendo que "tudo isso é para invocare a crise e dizer que não há condições financeiras para realizar as eleições, criar um clima de instabilidade para depois se dizer que também não há condições de estabilidade para realizar as eleições”.

XS
SM
MD
LG