Links de Acesso

Cadeia do Sumbe superlotada e com falta de água

  • Fernando Caetano

Maioria da população prisional é jovem.

Os problemas na unidade prisional do Sumbe multiplicam-se e, além da superlotação, a cadeia debate-se com problema de falta de água potável da rede pública.

O chefe dos Recursos Humanos da cadeia Daniel Ernesto confirmou a falta de água na prisão.

”Também nos debatemos com a falta de água potável da rede pública”, disse.

A maioria dos reclusos está em prisão preventiva e a morosidade por parte dos magistrados judiciais é outro problema que contribui para a superlotação.

O primeiro secretário do Comité de Especialidade dos Juristas do MPLA, Lino Kupenga, lamentou o facto tendo em conta a população penal ser maioritariamente jovem.

Kupenga enalteceu, por outro lado, os mecanismos de reeducação que têm sido praticados na cadeia do Sumbe: “Constatamos que de facto há um bom trabalho, sobretudo no que diz respeito à ressocialização, a parte de reeducação está ser bem feita”.

Cada recluso gasta em média diária cerca de 20 dólares com despesas em alimentação, higiene pessoal, roupas, saúde, entre outros.

XS
SM
MD
LG