Links de Acesso

Angola: Prisão de militares visa dar credibilidade a alegações de golpe de estado - Bloco Democrático

  • Redacção VOA

Luís Nascimento do Bloco Democrático

Luís Nascimento do Bloco Democrático

Acusação é "ridícula, quixotesca, gratuita, patética"

O vice-presidente do Bloco Democrático, Luis Nascimento, considera que a prisão de Zenobio Zumbão, capitão das FAA, dos serviços de inteligência e segurança militar, é uma forma do executivo justificar a acusação de golpe de estado contra os 15 jovens activistas recentemente detidos.

Outro militar, Osvaldo Caholo da Forca Aérea angolana, tinha sido anteriormente detido.

Luís do nascimento considera de “patética e ridícula” a acusação que a seu entender mostra as fragilidades do sistema de justiça do país.

"Esta acusação é ridícula, quixotesca, gratuita, patética e só não é risível pelo facto dos jovens estarem encarcerados quando poderiam estar a desfrutar de outras situações”.

Para Nascimento, há “prepotência” na atitude da polícia e ministério publico.“O comportamento do Procurador Geral da Republica é a todos os títulos lamentável, (pois) pôs a nu a fraqueza do sistema de justiça da Republica de Angola".

Luis Nascimento, advogado dos jovens aquando de manifestações e detenções anteriores, disse que a prisão do militar dos serviços de inteligência e segurança militar, Zenobio Zumbão, tem o único propósito de legitimar a acusação de golpe de estado que pesa sobre os jovens.

“O que os serviços de investigação criminal pretendem agora é juntar os jovens detidos a jovens militares, como o Osvaldo que já estava preso e agora o Zenobia, isto porque em África quem é que consegue um golpe de estado sem exercito?", interrogou.

“Até as crianças deram conta que estamos perante uma farsa", disse Nascimento.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG