Links de Acesso

Partidos da oposição querem mais investimentos no sector social em Angola

  • Manuel José

Governo são tomense à procura de orçamento

Governo são tomense à procura de orçamento

Assembleia Nacional recebeu proposta do Orçamento Geral do Estado para 2014 que reserva 33% ao sector social.

Partidos da oposição parlamentar criticaram a proposta orçamental para 2014 afirmando que mais fundos devem ser dados ao sector social.




De acordo com a proposta do OGE que vai a discussão na Assembleia Nacional estimada em 7,2 triliões de cuanzas, 33% desse montante vai para o sector social.

A bancada parlamentar do PRS considera, através do chefe do seu grupo parlamentar Benedito Daniel, não haver "mudanças significativas em relação ao OGE do ano anterior" quando os gastos com esse sector foram de 30%

"Gostaríamos que a fatia para o sector social pudesse se elevar muito mais porque este é o sector base da reconstrução do país," disse.

Para a CASA-CE, o deputado Leonel Gomes considera que o OGE devia começar já a reduzir a fatia atribuída ao sector da defesa e segurança e canalizar mais investimento para o sector social.

"Há que cuidar mais os sectores da educação e da saúde”, disse e concluiu:"País que é país cuida da sua própria saúde, cuida da formação de seus quadros porque nenhuma riqueza é mais importante que a riqueza humana nas sociedades onde se inserem".

As duas maiores bancadas, do MPLA e da UNITA preferiram não fazer nenhum comentário à proposta do OGE para 2014, deixando tudo para a discussão em plenário.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG