Links de Acesso

Anulados concursos para o funcionalismo público em Angola

  • Teodoro Albano

Funcionários admitidos em 2014 só entrarão em 2016 se preço do petróleo aumentar.

Vários cidadãos que pretendiam ingressar no Estado por via de concursos públicos em 2015 na Huíla vêm este sonho esfumar-se com o anúncio por parte do Govero do cancelamento dos mesmos devido à baixa do preço do petróleo no mercado internacional.

Mesmo os cidadãos admitidos em 2014 só deverão ser efectivados em 2016 caso houver um ambiente económico favorável.

Mário é um jovem residente no Lubango que em 2014 por via de concurso público acabou admitido na vizinha província do Namibe como técnico licenciado no sector da educação. A notícia da não-efectivação em 2015 obrigou-o adiar de um sonho.

“É triste para nós porque nessa altura temos que remeter os planos, os sonhos e projectos que tivemos para este ano para 2016 caso isso venha a se efectivar”, disse.

As medidas do Governo incluem também o cancelamento de promoções em todos os sectores.

O economista Ndenga Mfumuansuka discorda que a medida passe pelo congelamento de mais inserção de pessoas no sector público, pois segundo ele, a depender do petróleo, essa situação poderia se arrastar por muitos anos.

Para o também docente universitário, a solução passa irremediavelmente por uma aposta séria na diversificação da economia e na revisão da política salarial no sector público, sobretudo nos cargos de topo.

“Temos que encontrar para este tipo de situações uma saída idónea que é desenvolver a indústria local, dar prioridade à agricultura, caso contrário todas as medidas vão desfavorecer a maioria e favorecer uma minoria”, considerou o economista para quem é preciso também acabar com irregularidades na função publica.

“Um funcionário público não pode receber duas vezes ou duplicar e triplicar salário”, disse acrescentando que é preciso rever o problema salarial, quem ganha o quê, quanto ganha e por quê e onde trabalha, qual é o seu contributo”, sublinhou.

Importa dizer que dados oficiais indicam que o Estado é o maior empregador do país com cerca de 300 mil funcionários públicos.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG