Links de Acesso

Luanda: Peça de teatro cancelada devido a perigo de desabamento

  • Pedro Dias

“É um duro golpe. Alguém deve ser chamado à responsabilidade”, desabafa a coreógrafa Ana Clara Marques

“É um duro golpe. Alguém deve ser chamado à responsabilidade”, desabafa a coreógrafa Ana Clara Marques

Com o cancelamento da peça em Luanda, a estreia de "Paisagens Propícias" vai acontecer em Lisboa, Porto e Bragança, em Janeiro de 2013.

A estreia da peça Paisagens Propícias prevista para 01 de Dezembro 2012, no Cine Teatro Nacional em Luanda, foi cancelada. O edifício foi considerado interdito, porque apresenta uma fenda que pode levar ao desabamento do tecto daquele espaço de cultura.

“É um duro golpe. Alguém deve ser chamado a responsabilidade”, desabafa a coreógrafa e investigadora angolana Ana Clara Guerra Marques, fundadora da CDCA (1991).


É a primeira criação do coreógrafo português Rui Lopes Graça para a Companhia de Dança Contemporânea de Angola (CDCA) no Nacional Cine Teatro (Chá de Caxinde)

Paisagens Propícias é um título emprestado do livro homónimo de Ruy Duarte de Carvalho (Santarém 1941 – Swakopmund, Namíbia 2010); inspira-se na vida, literatura, etnografia e filmografia do autor, cuja juventude, passada na então Moçâmedes, e o regresso, enquanto adulto, o levaria a um profundo conhecimento da cultura Kuvale (sudeste do país) e a adoptar, em 1983, a nacionalidade angolana.

Pioneira da dança contemporânea em Angola, onde é a única com estatuto profissional, a Companhia de Dança Contemporânea de Angola foi fundada em 1991 pela coreógrafa angolana Ana Clara Guerra Marques. Marca a ruptura estética e formal da dança em Angola, ao propor a abertura para novos conceitos de espectáculo num terreno conservador, quase exclusivamente marcado pelas danças patrimoniais e recreativas urbanas.

Com o cancelamento da exibição da peça em Luanda, a estreia de Paisagens Propícias vai acontecer em Lisboa, Porto e Bragança, em Janeiro de 2013.
XS
SM
MD
LG