Links de Acesso

Minoria étnica angolana beneficia de protecção

  • Teodoro Albano

Eva Weitz,a coordenadora regional da WIMSA

Eva Weitz,a coordenadora regional da WIMSA

Facilitar a constituição de um Conselho representativo dos San a par do que acontece na África do Sul, Botswana e Namíbia é uma das prioridades

As comunidades San de Angola poderão contar com maior acompanhamento do grupo de trabalho das minorias indígenas da África Austral, WIMSA, organização não governamental regional que tem suas acções focalizadas na defesa deste grupo étnico.

Para constatar a realidade dos San em Angola e identificar áreas para possível intervenção esteve e trabalhar na Huíla, a coordenadora regional da WIMSA, Eva Weitz, que admitiu haver necessidade de intervenção nalgumas zonas por si visitadas.

Facilitar a constituição, em Angola, de um Conselho representativo dos San a par do que acontece na África do Sul, Botswana e Namíbia é uma das prioridades da WIMSA disse, Eva Weitz:“Um dos nossos objectivos é ver esta estrutura estabelecida em Angola, porque este Conselho San como órgão que representa a comunidade a nível nacional e internacional, é formado pelo presidente, secretário, tesoureiro e se propõe a lutar pela integração dos seus membros quer a nível do governo nas ONG`s, e melhorar o modo de vida através por exemplo do acesso ao emprego”.

Um dos programas fortes da WIMSA em curso está voltado para a educação dos membros da comunidade na língua materna Kung, que tende e desaparecer muito por força do predomínio e influência das línguas Bantu.

A assessora do programa de educação da WIMSA, Tharacky Namupala, revela que a revitalização da cultura San através da própria língua é um instrumento importante para este grupo minoritário.
Para a WINSA a parceria com os governos da região é fundamental para o sucesso do programa que é guiado pelas metas do desenvolvimento do milénio, as metas para a educação para todos, a constituição e os planos de desenvolvimento da educação de cada país.

Tharacky Namupala disse que, em Angola, o primeiro passo deve ser dado começando pelo treinamento de professores entre a comunidade San:“Um dos primeios passos seria trabalhar em parceria com o ministério da educação em Angola em conjunto com algumas entidades locais ONG´s que trabalham com os San identificar membros San que podem ser capacitados como professores que venham, a dar aulas nas suas próprias comunidades”.

Direitos Humanos, Educação, herança e direitos de propriedade intelectual são as linhas fortes da WIMSA em prol da comunidade San na África Austral.

XS
SM
MD
LG