Links de Acesso

Angola: Governo acusado de perseguir muçulmanos

  • Coque Mukuta

Imagem (arquivo - VOA)

Imagem (arquivo - VOA)

Comunidade muçulmana em Angola, acusa o executivo de perseguição e prometeu apresentar queixas ao Departamento de Estado norte-americano, e à Amnistia Internacional.

A Comunidade Muçulmana em Angola vai recorrer internacionalmente para denunciar alegadas práticas do governo angolano contra a sua religião.


O executivo angolano é acusado de destruir cerca de nove mesquitas de fiéis muçulmanos em quase todo país. A acusação é de David Já, porta-voz daquela comunidade religiosa que confirma as destruição de mesquitas por entidades governamentais.

“Destruídas e encerradas são cerca de nove em todo país,” disse o porta-voz dos muçulmanos angolanos.

David Já adiantou ainda que o executivo angolano tem perseguido aquela religião, encerrando e destruindo as suas estruturas de adoração sem qualquer justificação plausível.

“O executivo está a perseguir, está a encerrar as mesquitas está a partir e sem qualquer justificação. Vezes há, dizem que é a ordem superior. Esta ordem superior que não tem rosto e sem fundamento nas suas desculpas” acrescentou.

A Voz da América teve acesso de um vídeo em que mostrada a destruição total de uma mesquita no Saurimo na província da Luanda Sul.

Departamento do Estado Americano, Amnistia Internacional serão algumas das organizações internacional onde pretende recorrer.

“Vamos recorrer ao Departamento do Estado Americano e à Amnistia Internacional para reclamarmos este acto bárbaro praticado pelo executivo angolano” acrecentou David Já.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG