Links de Acesso

Fundo Soberano de Angola nega irregularidades

  • Redacção VOA

Mais 134 milhões de dólares do FMI para Angola

Mais 134 milhões de dólares do FMI para Angola

Comunicado diz que revelações dos "Panamá Papers" nada têm de ilegal.

O Fundo Soberano de Angola (Fsdea) negou que esteja envolvido em qualquer transacção ilegal, numa declaração divulgada nesta sexta-feira, 22, na sequência de notícias sobre as suas actividades reveladas no chamado escândalo dos “Panamá Papers”.

Documentos da companhia panamiana Mossak Fonseca publicados através do mundo revelaram uma série de transacções dúbias e a existência de companhias de fachada por diversas entidades e personalidades em redor do mundo, havendo alegações de muitas dessas transacções se destinam à fuga de impostos ou para lavagem de dinheiro obtido ilegalmente.

No seu comunicado, (Fsdea) afirma que “lida com inúmeras entidades, instituições financeiras e de consultoria especializadas em diferentes áreas com mérito comprovados sempre aprovadas por autoridades de supervisão e regulação das suas respectivas jurisdições”.

“Operaçoes financeiras com instituições sediadas em qualquer parte do mundo, inclusive em offshores cuja carga fiscal é mais baixa, desde que devidamente supervisionadas e comprovadamente legais, estão longe de ser sinónimo de falta de transparência ou qualquer actividade criminosa”, diz o comunicado.

O (Fsdea) afirma que essas actividades se justificam “com a necessidade primordial de racionalização e rentabilização dos fundos “confiado ao Fundo pelo Estado".

O comunicado acusa os meios de informação de publicarem artigos “pejados de inuendos opinativos e tendenciosos impossíveis de comprovar por ausência de culpa” do Fundo.

A organização acredita que a legalidade das suas atividades vai ser "recomprovada aquando da próxima publicação do relatório anual de contas , o que de resto, é prática regulamentar observada desde a criação do Fundo".

O Fundo Soberano de Angola é presidido por José Filomeno dos Santos, filho do presidente José Eduardo dos Santos.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG