Links de Acesso

Angola Fala Só: Bilhete de Identidade de Paula Kiluanje


Paula Kiluanje - Organização da Mulher Angolana OMA

Paula Kiluanje - Organização da Mulher Angolana OMA

Nesta Sexta-feira, 20 de Março, o Angola Fala Só tem em linha Paula Kiluanje, da Organização da Mulher Angolana, a OMA. Para a advogada ainda há grande discrepância no acesso ao mercado de trabalho entre homens e mulheres e defende que a mulher tem que ser mais solidária e investir mais em si. Para Paula Kiluanje o verbo desistir não se conjuga.

Nome: Paula Souza (mais conhecida por Paula Kiluanje)

Data de Nascimento: 19 de Maio 1969

Local de Nascimento: Luanda

Estado civil: Casada

Profissão: Advogada

Formação: Licenciada em Direito pela Universidade Lusíada de Angola; Pós-graduada em Direito de Petróleo e Gás pela Universidade Agostinho Neto

Destino em Angola: Ilha do Mussulo (Luanda)

Lema de vida: Desistir nunca

Curiosidades: Tem dois vícios - não passa sem o cigarrro nem sem um bom livro; não tem superstições; gosta de comer comida da terra

Hobbies: Jogar bowling e fazer passatempos (como palavras cruzadas)

Último livro que leu: "A Espera dos Filhos da Luz" de Ana Maria Braga

Música: Semba - Paulo Flores

O papel da mulher na sociedade... "A mulher africana ou angolana de uma forma geral tem que se educar mais, investir mais nela própria, investir mais nos recursos humanos, porque essa é a nossa maior defesa. A nível mundial a mulher ainda não atingiu o patamar certo, desde o momento em que nos deram acesso à cidadania - com o direito ao voto -, alcançámos muitos patamares contudo a discrepância no mercado de trabalho ainda é acentuada, mas a mulher tem alguma culpa porque temos dificuldades em aceitar sermos lideradas por mulheres. Falta solidariedade feminina.

Onde estava 11 de Novembro de 1975?
"Em Luanda, devia ter 6 anos e não tenho memória. A ideia que tenho a partir de casa é que foi um momento de euforia. Os angolanos perceberam que finalmente tinham conquistado a sua liberdade com o içar da bandeira, pelo Dr. Agostinho Neto. Os resultados são visíveis 30 anos depois. Muita coisa mudou.

Facebook: É viciada em redes sociais porque é importante acompanhar o desenvolvimento do mundo

XS
SM
MD
LG