Links de Acesso

Angola Fala Só - Rafael Sakaita Savimbi: "Os mestres da batota manipulam tudo"

  • Redacção VOA

Angola, Rafael Sakaita Savimbi

Angola, Rafael Sakaita Savimbi

A crise económica em Angola esconde uma crise política, disse o secretário para a mobilização urbana da Unita Rafael Savimbi.

Ao participar no programa “Angola Fala Só”, Savimbi recordou que durante vários anos o Orçamento Geral do Estado tinha sido feito com base em preços de petróleo abaixo do seu preço real pelo que se tinham registado excedentes cujos gastos não foram devidamente explicados.

“Há desvios e não há transparência da coisa publica”, acusou o deputado da Unita, para quem "a crise económica esconde uma crise política”.

Durante o programa, aquele dirigente da UNITA abordou também o que disse ser a crescente onda de intolerância política no pais e recordou o recente ataque contra uma caravana da Unita na Lunda Norte, em que vários militantes do seu partido ficaram feridos e alguns com gravidade. Um veículo da Unita foi também incendiado, segundo ele.

Para Rafael Savimbi o “mais grave” é que são conhecidos os responsáveis e nada é feito para os prender.

O secretário para mobilização urbana da UNITA avisou que em qualquer situação quando as autoridades não tomam medidas para proteger cidadãos estes acabam por tomar eles próprios medidas para se defenderem.

“As autoridades devem tomar medidas para evitar que sejam tomadas medidas de defesa”, disse Savimbi acrescentando haver um tentativa clara de “intimidação” dos cidadãos.

“A Unita representa uma parte significativa dos angolanos de todos os sectores e a intimidação política não vai parar esse amplo movimento,” declarou.

“Temos que aceitar a diferença e viver na diferença”, acrescentou Savimbi , afirmando ainda que “só haverá democracia e justiça com alternância e com a liberdade de qualquer um se juntar a qualquer partido”.

Rafael Savimbi abordou também o facto de os partidos da oposição não terem acesso aos meios de informação públicos como a televisão, onde segundo disse “os mestres da batota manipulam tudo”.

Vários ouvintes abordaram a situação dos veteranos de guerra que continuam sem receber pensões. Um deles disse que um funcionário governamental lhe havia afirmado que os veteranos da Unita estavam a receber pensões graças ao MPLA.

Para Rafael Savimbi, a questão das pensões dos veteranos “é uma questão de segurança nacional” sendo responsabilidade do Governo assumir isso como tal e “dignificar os angolanos”.

As pensões para os veteranos das diversas forças que participaram na guerra de libertação e na guerra civil “não são um favor do MPLA”, esclareceu Sambi já que, para ele, "é resultado de um acordo político, não um favor”.

Rafael Savimbi abordou também a questão de eventualmente se dar um enterro formal ao seu pai Jonas Savimbi, o fundador e primeiro presidente da Unita morto no Moxico.

Ele disse que a Unita tinha formado uma comissão para tratar o assunto com as autoridades mas não tem mais pormenores sobre o tema.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG