Links de Acesso

Recuperação em Angola vai ser díficil, avisa economista

  • Arão Ndipa

Mesmo se petróleo atingir $80 o barril não podem ser cometidos "desvarios" e tem que haver "contenção"

Em Angola especialistas em economia estão convencidos que não se vislumbram condições para que o país retome as taxas de crescimento económico do passado e sustentam esta afirmação com base no relatório económico e social elaborado pelo centro de estudos e investigação científica da universidade católica de Angola.

Para o econoimista Alves da Rocha A economia de Angola precisa de substituir “as dinâmicas anteriores” para que possa haver mudanças estruturais.

Mas, disse o economista não há actualmente como substituir essas dinâmicas anteriores da economia angolana.

Alves da Rocha avisou assim que a “inversão desta desaceleração estrutural da economia não se faz com uma fábrica, duas ou três” nem com a exportação “de toneladas de bananas”.

O país precisa de adoptar “um rumo consistente não com muita publicidade para vêr se o país retoma as dinâmicas anteriores”.

“Isso exige tempo e exige dinheiro”, disse.

Alves da Rocha disse que se o preço do barril de petróleo atingir os 80 ou 85 dólares o barril, isso permitirá retomar algum caminho anterior, mas “com contenção e não cometendo os desvarios que se cometeram quando havia uma montanha de dólares”.

Para nos falar sobre o assunto, ouvimos também o engenheiro agrónomo, Fernando Pacheco e o politólogo Hermenegildo José.

Ouça a reportagem aqui

XS
SM
MD
LG