Links de Acesso

Angola e Moçambique vão ficar ligados por caminhos-de-ferro


O objectivo é abrir um corredor directo até ao Lobito para permitir que a Zâmbia, um país sem saída para o mar, importe produtos como o petróleo, directamente de Angola.

Angola e Moçambique vão ficar em breve ligados por caminho-de-ferro, com o recente anúncio pela Zâmbia do início de um grande projecto ferroviário, noticia este domingo, 23, o diário Jornal de Angola.

A notícia, que faz a manchete da edição, salienta que a Zâmbia vai iniciar a construção de uma linha ferroviária que vai ligar Chingola, no coração da antiga província de Copperbelt, à fronteira de Angola, onde se junta ao caminho-de-ferro de Benguela.

"A linha ferroviária vai ser construída numa parceria entre os sul-africanos da Grindrod e os zambianos da Northwest Rail Company e tem duas fases: uma que se estende desde Chingola até às minas de Kansanshi, Lumwana e Kalumbila (uma via de 290 quilómetros) e outra que vai ligar à linha de Benguela na fronteira da Zâmbia com Angola, perto de Jimbe", escreve o Jornal de Angola.

Para leste, outra ligação está a ser feita com Moçambique, acrescenta.

"Quando o projecto estiver concluído, a zona austral do continente vai passar a ter uma linha ferroviária a ligar o Oceano Atlântico (Angola) ao Índico (Moçambique)", sublinha-se no texto.

O objectivo é abrir um corredor directo até ao Lobito, para permitir que a Zâmbia, um país sem saída para o mar, importe produtos como o petróleo, directamente de Angola.

O Jornal de Angola recorda que o Presidente zambiano, Michael Sata, anunciou recentemente a disponibilização de 120 milhões de dólares à empresa pública do sector para dinamizar o processo de reabilitação das linhas ferroviárias do país, iniciado em Setembro de 2013.

A verba faz parte do pacote global de 750 milhões de dólares negociados em 2012.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG