Links de Acesso

CASA-CE concluiu que eleições angolanas não foram justas

  • Manuel José

Abel Chivukuvuku num comício da CASA-CE em Luanda durante a campanha de 2012

Abel Chivukuvuku num comício da CASA-CE em Luanda durante a campanha de 2012

Abel Chivukuvuku afirmou que processo eleitoral de 2012 não foi justo, transparente ou credível.

Abel Chivukuvuku afirmou que processo eleitoral de 2012 não foi justo, transparente ou credível.



Ainda assim Abel Chivukuvuku, presidente da Coligação aceita a decisão do Tribunal Constitucional:

“A CASA-CE acata e respeita o acórdão do tribunal constitucional”

E vão os deputados da CASA-CE tomar posse a assembleia nacional:

“A CASA assume a obrigação de corresponder a vontade dos eleitores de participar nas instituições públicas angolanas.”

Abel Chivukluvuku pensa que dentro das instituições melhor se discute os problemas mas isto não impede que a CASA apresente queixa as instituições internacionais, conscientes que não vai mudar nada, então porque o recurso lá fora?

“Temos noção que não vai alterar o processo eleitoral mas na busca da verdade vai ser bom para o futuro deste país”

Questionado se a CASA-CE vai ou não felicitar o vencedor das eleições, Chivukuvuku respondeu assim:

“Não existe nenhuma lei que obrigue a felicitar vencedores.”

E sobre a vigília dos jovens revolucionários que não querem que os partidos da oposição tomem posse no parlamento, Abel disse:

“A opinião dos jovens 'e legítima estão no seu direito mas não representam o todo nacional”

Os jovens estão no seu direito mas a CASA também está de ocupar os seus lugares no parlamento, disse o líder da CASA que considerou os tribunais angolanos de subservientes do poder executivo:

“Ainda não temos órgãos neutros, os que mandam no palácio presidencial são os que mandam na CNE nos tribunais, acabam por ser subservientes do executivo”.
...
Abel Chivukuvuku, presidente da CASA-CE no encontro com jornalistas em Luanda.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG