Links de Acesso

Agudizam-se divisões na FNLA

  • Manuel José

Facção de Ngola Kabango acusa Lucas Ngonda de ser responsável pela morte de um militante.

As divisões dentro da FNLA continuam a agudizar-se e agora um destacado dirigente da facção de Ngola Kabango acusa o recém reeleito presidente de ser o responsável pela morte de um militante nos confrontos que antecederam o congresso.

A reunião magna do partido realizada no fim de semana passado foi marcado pela violência no início da qual resultaram um morto e vários feridos.

António Manuel, de 73 anos de idade, foi morto nos confrontos. A polícia prendeu o alegado autor do crime.

Em conferência de imprensa, Nimi a Simbi, vice-presidente da ala de Ngola Kabango disse que "quem mandou atacar foi Lucas Ngonda”.

António Manuel foi alegadamente morto por Herculano Bengue Bibingue que se diz ser sobrinho de Lucas Ngonda e Nimi a Simbi disse que a polícia sabe que a agressão foi ordenada por Lucas Ngonda.

Mas este dirigente da ala de Ngola Kabango afirmou ser possível a realização de um congresso com todos os membros da FNLA “com base no diálogo entre todos e que a FNLA saia mais coesa".

Nimi a Simbi rejeitou o congresso realizado no fim de semana que elegeu Lucas Ngonda, afirmando que serve só para “demonstrar a sua fragilidade” por este se recusar a ter um congresso com todos.

"O quadro que ele criou mostrou que Lucas Ngonda não tem popularidade dentro da FNLA, se ele quiser ser presidente deve ser dentro dos estatutos do partido", concluiu Nimi a Simbi.

XS
SM
MD
LG