Links de Acesso

Agenda Africana: Iniciativa Jovens Líderes Africanos tem aplicações práticas?


Participantes Yali - Akiules Neto, Majo Joseph e Edmar Nhaga

Participantes Yali - Akiules Neto, Majo Joseph e Edmar Nhaga

Este ano a Yali passou a chamar-se Washington Mandela Fellowship, em homenagem a Nelson Mandela, por ter inspirado tantos a acreditar que não existem impossíveis.

Após o término da Iniciativa Jovens Líderes Africanos à Voz da América falou com três participantes, de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique, para perceber como pretendem aplicar o que aprenderam assim que estiverem de volta aos seus países.

Akiules Neto, Edmar Nhaga e Majo Joseph partilharam as preocupações, os desafios e garantem que o programa no seu todo é útil e aplicável e que saem dos Estados Unidos com novas ideias que vão melhorar o meio em que estão inseridos.

Oiça o debate:

Akiules é físico nuclear e pretende criar um projecto que ajude os jovens recém-licenciados a orientar as suas carreiras, Edmar faz parte da Liga Guineense dos Direitos Humanos, está pronto para novas parcerias e tem muita esperança no novo Governo. Majo trabalha com o Parlamento Moçambicano da Juventude e aponta os desafios que Moçambique encara, apesar de acreditar em programas como a bolsa Yali.

Barack Obama desafia jovens africanos a mudar o mundo

A bolsa Yali (Young African Leaders Iniciative) é um programa criado pelo Presidente americano, Barack Obama, que dirigida a jovens africanos entre os 25 e os 35 anos e pretende empoderar os jovens nas áreas de gestão pública, negócios e empreendedorismo e liderança.

"Homens, precisamos de vocês para agitar as coisas", Michelle Obama

Este ano a Yali passou a chamar-se Washington Mandela Fellowship, em homenagem a Nelson Mandela, por ter inspirado tantos a acreditar que não existem impossíveis.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG