Links de Acesso

Relatório da União Africana sobre Moçambique: Corrupção, Desigualdade e Desrespeito pela Mulher


Relatório da União Africana sobre Moçambique: Corrupção, Desigualdade e Desrespeito pela Mulher

Relatório da União Africana sobre Moçambique: Corrupção, Desigualdade e Desrespeito pela Mulher

Corrupção, desigualdade de desenvolvimento regional e desrespeito pelos direitos da mulher são três dos principais aspectos apontados num relatório sobre Moçambique, elaborado pela União Africana.

Este estudo, o primeiro desde sempre apresentado pela União Africana, foi coordenado pelo Centro de Aprendizagem e Capacitação da Sociedade Civil como parte de um projecto de pesquisa realizado em dez países de África.

O relatório refere que - e citamos – “a corrupção continua a ser um grande problema político em Moçambique, o que acontece a todos os níveis do sistema público”. E especifica que “o uso da influência do poder para benefícios pessoais ou em troca de compensações financeiras e outras relacionadas continua a ser notório no âmbito da administração do Estado, das empresas públicas e mesmo no sector privado”, um sistema “facilitado pela falta de supervisão independente por parte da Assembleia Nacional e de um sistema judicial que coloca a política acima da lei.” A moçambicana Teresa Manjate foi uma das relatoras deste relatório da União Africana.

Marcus Weimar é investigador da organização britânica Chatham House e autor de trabalhos sobre Moçambique. Weimar diz que a situação em Moçambique constitui um desafio, apesar de uma comparação global seja favorável.

Weimar está a preparar para publicar até ao fim do ano um estudo sobre a situação pós e eleitoral em Moçambique.

Sobre a desigualdade do desenvolvimento regional e sobre a situação da mulher, as outras duas vertentes destacadas no relatório da União Africana, voltaremos a falar na próxima emissão da VOA.

XS
SM
MD
LG