Links de Acesso

África oriental: El Nino e conflitos poderão causar insegurança alimentar

  • VOA Português

Resultado do El Nino

Resultado do El Nino

Mais de 18 milhões de pessoas na África oriental correm risco de insegurança alimentar por causa do fenómeno de El Nino e conflitos na região, advertem as Nações Unidas.

Segundo o bloco regional da África oriental (Igad), a seca que atinge a zona e a parte central do continente vai continuar por, pelo menos, três meses.

O director de previsão de tempo no Igad, Guleid Artan, diz que a África oriental terá muita chuva, mas só a partir de Março.

Artan explica que a seca a norte vai continuar até a próxima época chuvosa. Em metade do Quénia, choverá pouco. No Uganda, Tanzânia e nos grandes lagos, a precipitação será acima da média.

O fenómeno El Nino ocorre quando a temperatura sobe acima da média na zona central e oriental do oceano pacífico, causando uma alteração na circulação atmosférica.

O impacto do El Nino foi sentido no início de Maio deste ano, quando foram registadas secas em partes da Etiópia, Sudão e Somália.

Pete Manfield, do escritório das Nações Unidas para a Coordenação da Acção Humanitária (OCHA), confirma 18 milhões e meio de pessoas poderão passar fome por causa da seca e conflitos na região.

Manfield diz que as dinâmicas de conflitos na região agravam a situação humanitária, com realce para o Burundi, Sudão do sul e Iémen.

A situação, diz Manfield, “requer o aumento de intervenções de curta duração para salvar vidas”.

A seca atingiu fortemente a Etiópia e o governo pede 1.1 mil milhões de dólares para alimentar mais de 10 milhões de pessoas.

Os vizinhos Sudão do sul e Somália, além da seca têm conflitos internos.

A porta-voz do Programa Mundial da Alimentação, Challis McDonough, diz que os conflitos dificultam o acesso aos mais necessitados.

Cerca de 300 mil pessoas na região mudaram dos seus locais habituais de residência por causa da seca. Outros tantos fugiram de conflitos armados.

XS
SM
MD
LG