Links de Acesso

África do Sul retira rinocerontes do Parque Kruger por causa de caçadores furtivos moçambicanos

  • Simião Pongoane

Mais de três centenas de rinocerontes foram mortos no Parque Nacional de Kruger deste o início deste ano.

A África do Sul está a transferir rinocerontes do Parque Nacional de Kruger, que faz fronteira com Moçambique, para um local desconhecido por causa da caҫa furtiva que envolve moçambicanos.

Informações sobre a movimentação de rinocerontes são muito escassas, mas sabe-se que cerca de 500 animais já foram transferidos do Parque Nacional de Kruger.

Consta que o local escolhido para alojamento dos animais é muito seguro, com segurança reforçada.

Entretanto, dois cidadãos vietnamitas foram formalmente acusados ontem, 6, no tribunal de Kempton Park, perto da cidade de Joanesburgo.

Os dois foram detidos no Aeroporto Internacional de Joanesburgo provenientes de Maputo, Moçambique, com 41 quilos de cornos de rinocerontes e a caminho da Asia, considerado o melhor mercado dos trofeus de rinos.

Os 18 cornos são avaliados em 4.5 milhões de rands, cerca de 450 mil dólares americanos. Tudo indica que os cornos foram extraídos de rinocerontes mortos em caҫa furtiva no Parque Nacional de Kruger por moçambicanos com a conivência de guardas florestais sul-africanos, segundo o pesquisador Milton Maluleque.

"Honestamente falando, quando visitei o parque ouvi responsáveis daquele a lançarem acusações terríveis contra moçambicanos, sobretudo os guardas florestais de conivência com criminosos ou caçadores furtivos", disse Maluleque.

"Moçambicanos, zimbabweanos e cidadãos de outros países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral(SADC) são considerados parasitas que promovem crime na economia sul-africana", explicou Milton Maluleque.

Mais de três centenas de rinocerontes foram mortos no Parque Nacional de Kruger deste o início deste ano.

XS
SM
MD
LG