Links de Acesso

Activista espancado processa agentes penitenciários e da Polícia Nacional de Angola

  • Redacção VOA

Francisco Mapanda “Dagó” foi espancado antes do início da última audiência do julgamento do "caso Cassule e Kamulingue".

O activista Francisco Mapanda “Dagó” apresentou uma queixa-crime contra agentes da Polícia Nacional de Angola que o espancaram na passada quinta-feira, 26, antes do início de leitura da sentenção do "caso Cassule e Kamulingue" no Tribunal Provincial de Luanda.

"Dagô" foi espancado brutalmente por três agentes pouco antes do início do juglamento de Marques, quando as pessoas entravam no tribunal. Ele foi libertado mais tarde.

Os agentes disseram que o activista, que vem acompanhado o caso desde o início, não obedeceu às suas orientações, o que foi negato por "Dagô".

O activista terá ficado ferido e bastante contundido com as agressões dos policias que aconteceram frente de jornalistas, público e agentes de justiça.

Na sexta-feira, Francisco Mapanda “Dagó” deslocou-se acompanhado de advogados da Associação Mãos LIvres à esquadra para apresentar a queixa-crime contra três agentes penitenciários e dois da Polícia Nacional.

XS
SM
MD
LG