Links de Acesso

ACNUR quer equipa de refugiados nos próximos Jogos Olímpicos


Equipa Olímpica de Refugiados, Rio-2016

Equipa Olímpica de Refugiados, Rio-2016

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, ACNUR, afirmou que já começou a fazer planos para manter uma equipa de atletas refugiados para as próximas Olimpíadas que serão realizadas em Tóquio, em 2020.

Segundo a Rádio ONU, o ACNUR disse que está em contacto com o Comité Olímpico Internacional, COI, para repetir a parceria na capital japonesa.

Segundo o presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach, a presença dos dez atletas da Equipa de Refugiados no Rio de Janeiro, levou esperança a milhões de outros refugiados no mundo.

Já a vice-chefe do ACNUR, Kelly T. Clements, contou que a forma de se falar sobre refugiados mudou num curto período de tempo com a atenção despertada pelos atletas.

Numa entrevista a correspondentes no Brasil, o COI já havia afirmado que iria estar ao lado dos dez atletas refugiados mesmo depois do encerramento dos jogos, o que ocorreu no Domingo, no estádio do Maracanã, no Rio.

De acordo com o ACNUR, a relação de cooperação com o Comité Olímpico existe há mais de 20 anos. Até agora, eles actuavam para construir espaços e arenas de práticas desportiva para refugiados além de treinos.

Nenhum dos das atletas da Equipa Olímpica de Refugiados ganhou uma medalha, mas para os organizadores, a participação deles já é um motivo de vitória.

XS
SM
MD
LG