Links de Acesso

Novos casos de pólio no mundo


Novos casos de pólio no mundo

Novos casos de pólio no mundo

As estatísticas oficiais indicam que o número de novos casos de pólio no mundo, até a última semana de Setembro, atingiu 1262. Entre os países que tiveram de enfrentar o poliovirus importado de outros paises, figura em primeiro lugar o Iémen, que conta com um total de 469 novos casos este ano. Vem em segundo lugar a Indonésia, com 236. Nesta mesma categoria, seguem-se a Etiópia, com 18 novos casos; Angola, com 7 ; Mali, 3 ;Somália, 2; República dos Camarões;1; e, finalmente, Eritréia, 1.

ANA- Em outros países, o virus da pólio se encontra em estado de endemia, nome que a Medicina dá quando uma doença ocorre habitualmente e com incidência considerável em uma determinada região. Nesta categoria, podemos citar em primeiro lugar a Nigéria, com 445 casos; India, 30; Paquistão, 17; Níger, 4; Afeganistão, 4. Há, ainda, outros países nos quais a transmissão do poliovirus foi restabelecida. Entre eles, podemos citar o Sudão, com 26 casos, e o Chade, com 1 caso.

RENATO- Angola vai ter que esperar mais cinco anos para obter o certificado da Organização Mundial de Saúde comprovando que a pólio foi efetivamente erradicada do país. Parecia que a meta da certificação poderia ser alcançada até Dezembro deste ano, mas a ocorrência de 7 novos casos da doença prejudicou essa perspectiva otimista. O certificado da OMS só poderá vir a ser dado se desde agora até 2010 não for registado em Angola nenhum novo caso de pólio.

ANA- Entrementes, as autoridades angolanas prepararam uma terceira ronda de vacinação, entre 30 de Setembro e 2 de Outubro, com a finalidade de vacinar 969 mil crianças entre zero e cinco anos de idade, número que não conseguiu ser alcançado nas duas mais recentes campanhas. A novidade da terceira fase de vacinação é a utilização de uma vacina monovalente, em contraste com a vacina trivalente utilizada nas duas fases precedentes. Essa vacina monovalente, recentemente desenvolvida, oferece melhor proteçao contra o polivirus tipo 1- que é justamente o que afecta certas partes da Africa- e ela requer um número menor de doses do que a vacina tradicional.

RENATO- Na Indonésia, onde impera o que as autoridades descrevem como o pior surto de pólio no Sudoeste da Asia, foi organizada tambem uma maciça campanha de vacinação contra a doença paralisante. Esta nova fase segue-se à campanha levada a cabo em Agosto passado. O UNICEF e a Organização Mundial de Saúde disseram, em comunicado, ser essencial proteger as mais de 24 milhões de crianças da Indonésia, sobretudo nesta época de estação das chuvas, quando as crianças correm maior risco, porque o virus se transmite também através da água. Em Novembro, a Indonésia pretende realizar outra ronda de vacinação antipólio.

ANA –A coligação internacional para a erradicação global da pólio - de que fazem parte a Organização Mundial de Saúde, o UNICEF, o Rotary International e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, órgão do governo dos Estados Unidos - elaborou um plano de emergência, depois de ter sido descoberto um novo caso da doença na Somália, país que estava livre do virus desde 2002. O plano estabelece uma série de campanhas coordenadas de vacinação em oito paises - Djibouti, Eritréia, Etiópia, Somália, Sudão, Iémen e partes do Quênia e República Democrática do Congo. Trinta e quatro milhões de crianças vão receber, entre Setembro e Dezembro, múltiplas doses da vacina antipólio.

RENATO- A emergência de esporádicos casos da chamada “gripe das aves” na Indonésia poderá vir a se transformar em epidemia, se o número de casos continuar a subir, afirmou a Ministra da Saúde, Siti Faddili Supari. As autoridades sanitárias mundiais estão acompanhando a evolução da doença atentamente, sobretudo depois do surgimento de um novo caso, um menino de 8 anos, que foi confirmado como tendo sido infectado.

ANA- Entre Dezembro 2003 e Agosto 2005, testes de laboratório atestaram a presença da “gripe das aves” em 113 seres humanos, no Vietnam, Camboja, Tailandia e Indonésia. 58 desses casos foram fatais. A maior parte das pessoas contraiu a doença através de contacto com aves infectadas. Não existe ainda uma vacina contra esse virus do tipo “influenza”, mas cientistas nos Estados Unidos e outros paises estão trabalhando para descobri-la. No seu discurso perante a Assembléia das Nações Unidas, o Presidente Bush, como se recorda, reconheceu a importância do problema. Ele advertiu: “ Se o virus não for combatido em tempo, poderá vir a causar a primeira pandemia do século 21. Não podemos permitir que isso aconteça”.

RENATO- Há motivos para preocupação . O diretor do setor veterinário da FAO, Joseph Domenech, alertou, em Roma, para o fato de que a estratégia global para o combate contra a gripe das aves sofre de falta de recursos financeiros. Serão precisos mais 100 milhões de dólares para os próximos 3 anos. O especialista disse que faz sentido estocar drogas anti-virais para proteger os seres humanos, mas é preciso também conter o virus na fonte, isto é, nos animais. Os investimentos feitos agora compensam, disse ele, porque poderão evitar custos muito mais altos no caso de uma pandemia global.

ANA- Guiné Bissau està às voltas com um surto de cólera. No principio de Setembro, 11.192 casos tinham sido registados. Esse número subiu para mais de 15 mil, no final do mês. A cólera é uma infecção intestinal que pode ser fatal. Segundo Claire-Lise Caignat, especialista da Organização Mundial da Saúde, a epidemia em Guiné-Bissau está a se espalhar da cidade para o campo. E, segundo o representante regional da OMS, Michel Bassima, é muito dificil levar equipas de técnicos e medicamentos para a zona rural, sobretudo nesta época em que as chuvas tornam as estradas intransitáveis. Assegurar boas condições de sanitação nas zonas atingidas constitui um problema, e, portanto, a cólera continua a fazer vítimas.

XS
SM
MD
LG