Links de Acesso

Desde que a pólio reapareceu em Abril na Indonésia


Desde que a pólio reapareceu em Abril na Indonésia

Desde que a pólio reapareceu em Abril na Indonésia

A Indonésia, segundo advertiram autoridades médicas internacionais, vai precisar fazer um “tremendo” esforço para conter um surto de poliomielite que já infectou 225 crianças e alarmou os países vizinhos.

Hamif Jafan, director da divisão de imunização global dos Centros de Prevenção e Controle de Doenças, órgão do governo dos Estados Unidos, declarou que o tamanho da Indonésia, a estação húmida e o sistema de saúde do país abalado pelo impacto do tsunami, em dezembro passado, tornam a disseminação do poliovírus naquele país um motivo de preocupação internacional.

ANA- O dr. Jafari disse ainda que o surto da doença paralizante requer uma resposta extraordinária de toda a população indonésia, não só do Governo. Todo cidadão tem de participar da responsabilidade coletiva para garantir que não só suas crianças sejam vacinadas, mas que também as crianças dos países visinhos sejam vacinadas. As autoridades organizaram duas rondas de vacinação, a primeira no final deste mês de agosto, a segunda a 27 de Setembro.

RENATO- Desde que a pólio reapareceu em Abril na Indonésia - pela primeira vez desde 1996 - duas rondas de vacinação foram realizadas, a primeira das quais abrangeu 6 milhões e quinhentas mil crianças. Mas somente 5 milhões e quinhentas mil crianças apareceram para receber a necessária segunda dose. O motivo foi que depois da morte de 3 crianças, foi espalhado o rumor de que as vacinas não eram confiáveis. Mas a Ministra da Saúde anunciou que vai mostrar, na televisão, suas netas sendo vacinadas, a fim de provar que as vacinas não são perigosas.

ANA- O dr. David Heyman, responsável na Organização Mundial de Saúde pelo setor do combate à pólio, informou que a OMS tem recebido telefonemas de ministros de saúde dos paises vizinhos da Indonésia, manifestando seus receios de que o surto naquele país venha a se espalhar. O dr. Heyman lembrou que o poliovirus se dissemina muito rapidamente e não há motivos para que páre na fronteira indonésia. Por sua vez, o dr. Jafari disse que os lideres do Pacifico estão observando atentamente a situacão do surto de polio e que a Indonésia será julgada pela opinião internacional com base em sua resposta à ação do poliovirus.

RENATO- Existe também preocupacão em torno da situação da pólio na Etiópia. O país parecia na iminência de se ver livre da doença, mas ela voltou a atacar, e desde o inicio do ano já vitimou 13 crianças. Em Abril, Maio e Julho foram realizadas campanhas de vacinação, com o apoio da UNICEF, tendo como alvo 15 milhões de crianças. Mais de 100 mil voluntarios foram de porta em casa para vacinar crianças de menos de cinco anos de idade. Epidemiologistas concordam em que o único meio de suster a disseminação do virus é levar a efeito maciças campanhas de vacinação.

ANA- Para isso, no entanto, é preciso dinheiro. E, no momento, ele é insuficiente para financiar o “hercúleo esforço necessário” – nas palavras do representante do UNICEF na Etiópia, Bjorn Jungvist- e que consiste em vacinar todas as crianças vulneráveis. O UNICEF precisa receber donativos para poder realizar mais campanhas. Uma boa notícia é que o Japão acaba de doar 5 milhões de dólares para essa finalidade. Serão necessários, em curto prazo, mais 17 milhões.

RENATO- Têm surgido últimamente notícias desalentadoras sobre a eficácia da tradicional vacina contra a tuberculose. A BCG (assim chamada em tributo aos cientistas franceses Albert Calmette e Camille Guerin) foi pela primeira vez testada em 1921. Ela conta com a aprovação da Organização Mundial de Saúde e é usada regularmente pela maioria dos países do mundo. Em Uganda, ela foi nacionalizada em 1983. As crianças recebem a vacina nos primeiros meses de vida. Em princípio, todas as crianças devem ser vacinadas, o que é feito gratuitamente. Mas têm surgido muitas dúvidas sobre o valor da acção protetora da vacina nesse país africano, que é um dos mais atacados pela doença no mundo.

ANA- O doutor Issa Makumbi, alto funcionário do Ministério da Saúde encarregado do setor de vacinação, diz que o fracasso da BCG em prevenir a doença provocada pelo bacilo de Koch se deve, em parte, à SIDA, que enfraquece o sistema imunitário do organismo dos adultos, mesmo daqueles que tenham sido vacinados quando crianças. Entre 70 e 80 mil pessoas em Uganda são infectadas anualmente pelo agente causador da tuberculose. E menos da metade dos casos recebe o tratamento adequado.

RENATO- Cientistas mundiais estão, no momento, a trabalhar para o aperfeiçoamento de uma nova vacina anti-tuberculose. No entanto, o doutor Makumbi adverte que até que a nova vacina seja aprovada pela Organização Mundial da Saúde, as crianças terão de continuar a ser vacinadas com a BCG. Sem a vacinação, a situação em Uganda seria ainda pior. O dr. Makumbi diz esperar que nos próximos 5 a 10 anos venha a ser encontrada uma vacina capaz de proteger simultâneamente contra a tuberculose, a malária e a SIDA.

ANA- Falemos agora de um problema diferente. Não se trata de tratamento de doenças, mas sim de manutenção geral da saúde. Todos sabem que é preciso fortalecer não só os músculos, com exercícios, mas também os ossos, e neste caso, o meio ideal é o cálcio, que pode ser absorvido pelo consumo de produtos lacticínios, ou o uso de suplementos em comprimidos. Agora, um estudo publicado pela universidade americana Tufts ensina que existe outro nutriente que é muito útil para manter forte o sistema ósseo. Trata-se do ferro.

RENATO- O estudo realça um fato curioso: o ferro sózinho não tem muita eficácia. Ele age melhor em combinação com o cálcio. A recomendação é de uso de 18 miligramas de ferro por dia. Mas talvez você tenha dificuldade em encontrar comprimidos de ferro em farmácias da sua região. Não faz mal. Poderá encontrar o ferro em diversos alimentos, tais como o fígado de galinha, o peru, a sardinha, o camarão, o tomate, o morango, batata, soja, e outros. Alguns alimentos facilitam a absorção do ferro, como, por exemplo, a laranja, a galinha, o brocolo, enquanto outros dificultam essa absorção, como, por exemplo, vinho tinto, café, chá, batata doce. Portanto, consuma ferro para fortalecer os ossos, mas não esqueca também do cálcio.

XS
SM
MD
LG