Links de Acesso

Hugo Chávez em Câmara Ardente na Academia Militar


Uma mulher coloca uma vela junto a uma imagem do presidente venezuelano Hugo Chávez

Uma mulher coloca uma vela junto a uma imagem do presidente venezuelano Hugo Chávez

O corpo do presidente venezuelano transportado para a academia militar enquanto milhares de venezuelanos choram a morte deste líder socialista. Chávez faleceu terça-feira após luta prolongada contra o cancro. Tinha 58 anos de idade.

O funeral está previsto para sexta-feira. Contudo ainda não foi anunciado onde Chávez será enterrado. O ministro dos negócios estrangeiros, Elias Jaua, declarou sete dias de luto pelo homem que dirigiu o país nos últimos 14 anos.

A morte foi anunciada pelo vice-presidente Nicolas Maduro, na televisão nacional. Ele apelou aos venezuelanos a mostraram a sua fortaleza e a sua coragem e estarem unidos para cumprirem as expectativas de um homem a que chamou de “grande líder.”

Maduro deverá liderar o governo até ter lugar uma nova eleição presidencial. O ministro dos estrangeiros Jaua disse que a eleição será anunciada dentro de 30 dias. Uma eleição que deverá colocar frente-a-frente Maduro e o líder da oposição e governador estadual Henrique Capriles.

O presidente Chávez estivera de novo em tratamento em Cuba antes de regressar a Caracas no mês passado. Responsáveis dizem que ele teve uma grande infecção após uma forte dose de quimioterapia num hospital militar em Caracas.

Chávez tinha cancro da pélvis. Desde Dezembro que não era visto em público. Não esteve presente para a sua tomada de posse que estava marcada para Janeiro.

O vice-presidente Maduro acusou os inimigos da Venezuela de atacarem o presidente com cancro. Mas não explicou como isso poderia ter acontecido.

O presidente americano, Barack Obama, divulgou um comunicado dizendo que os estados Unidos reafirmam o seu apoio ao povo venezuelano e o seu empenho em políticas que promovem a democracia e os direitos humanos.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, Jose Miguel Insulza, enviou as suas condolências ao povo venezuelano, descrevendo o momento como de grande dor. A OEA vai levar a cabo um encontro especial em memória do presidente Chávez.

Chávez, filho de professores, sonhava ser um grande jogador de basebol nos Estados Unidos, mas acabou por se tornar um militar.

Foi encarcerado em 1992 depois de ter liderado uma falhada tentativa de golpe contra o então presidente Carlos Andrés Pérez e acabaria por ser eleito para a presidência em 1998, prometendo eliminar a pobreza e acabar com a corrupção.

Chávez antagonizou-se com os Estados Unidos e a maior parte da América Latina pelas suas políticas socialistas. Nacionalizou as grandes companhias e cortejou líderes como Fidel castro de Cuba, Mahmoud Ahmadinejad do Irão, e Muamar Khadafi da Líbia.

A oposição acusou-o de se ter tornado um ditador. Milhões de pobres venezuelanos adoravam-no por ter usado os vastos recursos petrolíferos do país para lhes dar acesso a bens alimentares a baixo custo, cuidados de saúde gratuitos e outros programas sociais. Mas os peritos dizem que Chávez não conseguiu controlar o crime ou usar os rendimentos petrolíferos para melhorar o estado geral da economia.

Na terça-feira, a Venezuela expulsava entretanto dois diplomatas americanos acusando-os de se terem reunido com responsáveis militares e tentarem desestabilizar o governo.

O Departamento de estado americano em comunicado rejeitou as afirmações venezuelanas sobre os diplomatas e descreveu como absurdas as acusações de que os estados Unidos estavam envolvidos em causar o cancro que matou Chávez.

O perito em questões latino-americanas Sean Burges disse à Voz da América que o desafio para Caracas numa era pós-Chávez será a economia, pois ninguém sabe a quantidade que está a ser produzida de petróleo. Há problemas com as contas, a produção, o abastecimento. Um problema que Chávez teria que solucionar caso tivesse sobrevivido. “Vai ser de facto um exercício titânico gerir a economia e a racionalização.”

Os 14 anos de poder de Chávez mudaram para sempre a Venezuela e em geral a política de toda a América Latina.

A morte de Chávez poderá significar também um novo relacionamento entre a Venezuela e os Estados Unidos. A Venezuela diz o especialista vai precisar de ajuda dos Estados Unidos e outros para resolver os seus problemas económicos.
XS
SM
MD
LG