Links de Acesso

Vítimas da seca no Namibe recebem ajuda do Governo

  • Armando Chicoca

Criadores de gado e o soba Manuel Faustino (VOA / Armando Chicoca)

Criadores de gado e o soba Manuel Faustino (VOA / Armando Chicoca)

Toneladas de alimentos ajudam vítimas da seca, mas gado continua a morrer por falta de água

Os autóctones assolados pela estiagem já se beneficiam dos apoios do governo central, prometidos muito recentemente pelo Ministro da Assistência e Reinserção Social, João Baptista Kussumua.

158 toneladas traduzidos em arroz, óleo vegetal, conservas de peixe, farinha de milho e feijão, é a cota atribuída aos sinistrados da estiagem na Província do Namibe, segundo revelou à Voz de América, a Directora Provincial do Namibe da assistência e Reinserção Social, Lemba Lopes.

A distribuição dos respectivos bens está a ser feita criteriosamente pelas Administrações Municipais contempladas, nomeadamente Virei, Camucuio, Bibala e Namibe, com o envolvimento das autoridades tradicionais e outros parceiros sociais locais.

Além da distribuição dos bens alimentares, já nas mãos dos autóctones, as autoridades governamentais da província, através das Administrações Municipais, providenciam igualmente abastecimento de agua potável á população sinistrada e ao gado, por intermédio de viaturas cisternas.

O Administrador do Município do Namibe, Armando Valente, ao meio da manhã de terça-feira, 7 Novembro, reuniu-se com os criadores de gado, com quem debelaram a problemática de abastecimento de água aos bebedouros de animais afectos aos município sede, assim como á população carente.

“Nós fomos os mais interessados que os próprios criadores, queremos tranquilizar as pessoas e dar a conhecer os passos que estamos a dar em defesa das vidas humanas e de animais. Sabemos que o problema passara pela reabilitação e construção das chimpacas, represas, reservatórios e novos fontenários”, disse o governante do município do Namibe Armando Valente.

Por enquanto, sublinha o administrador, encontramos uma mediana que permita ajudar ultrapassar a situação gritante de água para o gado que não conseguiu caminhar para outras áreas. As chuvas que já se fazem sentir no norte da província e na vizinha província da Huila, dão-nos esperança de dias melhores para se ultrapassar o sofrimento do nosso povo, referiu.

No final do encontro, o soba do Giraul de cima, Manuel Faustino, considerou gratificante o entendimento alcançado.

“A criança que não chora não mama. Apresentamos todos argumentos possíveis, agora vamos aguardar pela reacção pratica da administração municipal do Namibe.” O soba Manuel Faustino disse a VOA que no Sambo dele “Curral” morreram duas cabeças de bois, resultante da escassez de água.

Alguns criadores falaram das dificuldades porque passam, enquanto se aguarda por apoios no abastecimento de agua a população gadina.

Estamos a sofrer, muitos bois já morreram por falta de água, carecemos de apoios do governo para o socorro do nosso gado, clamaram os criadores tradicionais da área de jurisdição do município do Namibe.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG