Links de Acesso

No caminho para a eleição presidencial nos Estados Unidos


Barack Obama em campanha no estado de Virginia.

Barack Obama em campanha no estado de Virginia.

Há muitos factores importantes para seleccionar o presidente dos Estados Unidos Da América.

Os mais importantes são os requisitos da constituição, angariação de fundos para a campanha eleitoral, o colégio eleitoral, e os debates presidenciais. Além disso, existem dois eventos importantes antes da eleição em Novembro. O primeiro é a Convenção Nacional Republicana e outro é a Convenção Nacional Democrática. Estes eventos são grandes oportunidades para os dois candidatos presidenciais e seus vice-presidentes, pois eles podem falar sobre seus planos de governo e o futuro.

Os candidatos das eleições de 2012 são o actual presidente Barack Obama, do partido democrático e Mitt Romney, pelo partido republicano e ex-governador de Massachusetts. De acordo com a constituição americana, eles tem que cumprir três requisitos para serem presidente. 1) ser cidadão nascido em território americano; 2) ter pelo menos 35 anos; 3) ter vivido os últimos 14 anos no país. Estes três requisitos são publicados na constituição americana. Também há muitas regras para as campanhas de cada candidato.

A organização que aplica as leis de financiamento de campanha é a Comissão Eleitoral Federal (FEC). A lei federal impõe limites na maneira que indivíduos e organizações podem contribuir para as campanhas dos candidatos.

Estas organizações chamam-se comités de acção politica (PAC’s) e podem gastar dinheiro para influenciar directamente as eleições. Por exemplo, a Associação Nacional das Companhias Imobiliárias (PAC) gastou $3,752,005 na campanha de 2006: 49% com os Democratas e 51% com os Republicanos.
Há comités de acção política nos Estados Unidos dedicados a muitas causas, incluindo comerciais e sociais. Há PAC’s para promover interesses das empresas farmacêuticas, dos sindicatos de professores, empresas de construção e muitos mais. Os candidatos podem aceitar fundos do governo, porém têm que obedecer a certas limitações de gastos. Quando recusam receber fundos do governo federal, podem gastar mais dinheiro especialmente aqueles doados por empresas privadas, porque deixam de ter um limite. Em caso da última eleição presidencial foram gastos $2.4 bilhões com as duas campanhas. Uma outra parte importante é o caminho da eleição presidencial americana e os debates.

A princípio, os candidatos não davam muita importância aos debates presidenciais, porque não resultavam em grandes mudanças. Mas, desde os debates entre John F. Kennedy e Richard Nixon, em 1960, eles tornaram-se bastante importantes. Actualmente, milhões de pessoas assistem aos debates pela televisão ou ouvem através da rádio (ou optam por ve-los através dos media sociais.

O segundo debate presidencial televisionado foi entre o Presidente republicano Gerald Ford e candidato democrata Jimmy Carter, então governador da Geórgia, em 1976. A Comissão para os Debates Presidenciais foi criada em 1987 e tem a responsabilidade de organizar os temas, as pessoas e os partidos que vão estar envolvidos.

Os frente-a-frente têm lugar em estados importantes para a eleição. Este ano, os debates eleições terão lugar em universidades do Colorado, Nova Iorque e Flórida. Os candidatos vão falar sobre a política externa e interna. Este é o primeiro ano que os moderadores serão iguais em número de homens e mulheres.

As Convenções

O evento crucial para cada partido é sua própria convenção nacional. Cada convenção tem o seu ponto alto na nomeação e aceitação oficial do candidato presidencial.

A convenção republicana (que teve lugar em finais de Agosto em Tampa, Florida) reúne em média 2.286 delegados e 2.125 delegados alternativos e mais 15.000 membros. O tema escolhido para este ano: “Um futuro melhor”.

O impacto deste evento é forte; o impacto económico directo de $175-200 milhões e os organizadores estimam que cerca de 7.500 pessoas oferecem-se para trabalhar como voluntários.

Entre os convidados seleccionados para discursar na convenção republicana estão: Ann Romney, a esposa do candidato republicano Mitt Romney, os governadores John Kasich, Nikki Haley e Bob McDonnell. Embora a tempestade tropical chamada Isaac, tenha sido responsável por interromper a cerimónia de abertura da convenção, acabou por ajudar os participantes proporcionando-lhes mais tempo para se prepararem.

Esta convenção é uma grande oportunidade para unir o partido republicano antes da eleição presidencial.

Os democratas também têm a sua própria convenção em Charlotte, Carolina do Norte. A convenção democrática (3-7 de Setembro) contou com 6.000 delegados.

A cobertura pela imprensa é igual à dos republicanos. Entre os oradores convidados a discursar os ex-presidentes americanos Bill Clinton e Jimmy Carter e a primeira-dama Michelle Obama. A expectativa é de que a convenção democrata tenha um impacto económico de $150-200 milhões, e a participação de 10.000 voluntários. O presidente Barack Obama é esperado no último dia da convenção para aceitar oficialmente a nomeação democrata.

A segurança para os dois eventos é imensa. Cada convenção contracta várias equipas de segurança. Cada partido gasta vários milhões de dólares em vigilância da polícia local e segurança privada. Uma organização que é instrumental no ciclo eleitoral é o colégio eleitoral. Esta organização decide o resultado da eleição presidencial.

Colégio Eleitoral

O colégio eleitoral, foi criado por um compromisso constitucional: para o presidente ser eleito ele precisa receber o voto popular dos cidadãos qualificados e a maioria dos votos do colégio eleitoral.

O colégio consiste de 538 eleitores – representando todos os estados e territórios - e 270 votos são necessários para que o presidente seja eleito. Cada estado é atribuído um número de eleitores determinados pela Constituição. Quando os cidadãos votam eles estão, de facto, a votar num desses eleitores (electors) que representam o candidato por esse estado. A maioria dos estados tem um sistema que se chama, “winner take all”, que significa que o candidato que receber a maioria dos votos leva todos votos. É um sistema que têm críticos e defensores.

Os críticos dizem que não é uma democracia directa porque um candidato pode tecnicamente perder a eleição mesmo se ganhar o voto popular. Mas os proponentes dizem que é um sistema que impede os candidatos de ganhar somente votos em grandes áreas metropolitanas e, portanto, eles tem que fazer campanhas em todos os estados, incluindo as áreas rurais.

Com apenas um pouco mais de dois meses até às do dia 6 de Novembro, os dois candidatos vão usar este tempo de forma sabia, porque sabem que o país inteiro está assistindo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG