Links de Acesso

Obama promete continuar guerra sem tréguas contra terrorismo

  • Redacção VOA

"A liderança da al-Qaeda foi devastada e Osama bin Laden nunca mais nos vai ameaçar. O nosso país está mais seguro" - Barack Obama, no 11º aniversário dos atentados de 11 de Setembro

No 11º aniversário dos atentados terroristas de 11 de Setembro - quando três mil pessoas morreram em Nova Iorque, Washington e Pensilvânia - o presidente Barack Obama reafirmou o empenho do EUA em derrotar a al-Qaeda, o movimento terrorista responsável pelos atentados.
Talvez não por coincidência, um dos líderes da al-Qaeda foi abatido no Iémen. Said al-Shehri viajava num automóvel com outros cinco membros da sua organização, quando o veículo foi destruído com um míssil. Al-Shehri era o número dois da al-Qaeda no Iémen e a sua morte foi anunciada pelo governo local e confirmada por fontes americanas.
Suspeita-se, embora não haja confirmação oficial, que o míssil foi disparado por um avião americano não tripulado – conhecido por “drone”.
O incidente não foi mencionado pelo Presidente Barack Obama, mas no seu discurso a assinalar a data, o presidente americano lembrou a morte do fundador da al-Qaeda, em Maio deste ano, e deixou claro que esta é uma guerra sem tréguas.
"Unimo-nos e desferimos um golpe arrasador contra a organização que trouxe o mal às nossas costas. A liderança da al-Qaeda foi devastada e Osama bin Laden nunca mais nos vai ameaçar. O nosso país está mais seguro e o nosso povo mais resiliente", declarou Obama numa breve cerimónia no Pentágono, o Ministério americano da Defesa.
Obama prestou tributo às vítimas do terrorismo, às suas famílias e às equipas de socorristas que acorreram ao World Trade Center em Nova Iorque, ao Pentágono nos arredores de Washington e à cidade de Shanksville, na Pensilvânia, onde três os três aviões envolvidos no atentado mataram quase três mil pessoas.
Agradeceu também aos cinco milhões que, voluntariamente na última década, envergaram um uniforme das forças armadas "para servirem o país e o tornar mais seguro".
O presidente lembrou que nestes 11 anos os americanos "aumentaram a segurança, reforçaram as suas alianças, estão a construir um novo arranha céus em Nova Iorque e recusaram-se a viver com medo".
“Em vez de nos voltarmos uns contra os outros, disse o Presidente, resistimos à tentação de nos entregar à desconfiança e à suspeita. Em vez de mudarem o que somos, os atentados revelaram o que há de melhor no povo americano. E, finalmente, em vez de nos isolarmos na nossa dor, homenageamos a memória daqueles que perdemos, dedicando-nos às nossas comunidades, servindo as pessoas necessitadas e reafirmando os valores no cerne do que somos como povo”, concluiu
Para Obama, o legado do 11 de Setembro é este: "A capacidade de dizer com confiança que nenhum adversário e nenhum acto de terrorismo podem mudar o que somos. Somos americanos e protegeremos e preservaremos este país que amamos”.
XS
SM
MD
LG