Links de Acesso

Destruídas salas de aula em Malanje num local onde MPLA realiza comício

  • Isaías Soares

10 salas de aula na feira do MPLA em Malanje foram demolidas na véspera de um comício, naquele local, do partido no poder (VOA)

10 salas de aula na feira do MPLA em Malanje foram demolidas na véspera de um comício, naquele local, do partido no poder (VOA)

Autoridades dizem que alunos sem condições na Feira serão transferidos para escola Patrice Lumumba

Pelo menos uma dezena de salas de aulas anexas a escola primária da “Feira” no bairro da Catepa, sudeste da cidade de Malanje, foram destruídas pela Administração do Município sede.
Algumas crianças temem perder o ano lectivo porque a demolição os surpreendeu numa época em que decorre a pausa do segundo trimestre para a preparação das eleições gerais do dia 31 deste mês.
Outros pequenos que estavam sobre aviso pretendiam saber o que seria feito do local onde encontravam-se as salas construídas de adobe e cobertas com chapas de zinco que acolhiam cerca de 100 alunos.
Para Josemar da Fonseca “partiram uma parte da escola da Feira e por isso, eu agora quero saber até se vão pôr lá o quê?”, questionou. No entender de Mateus Jacinto Muzema, 14 anos de idade, estudante do referido estabelecimento a destruição da escola “neste trimestre que acabaram não sei onde é que nós poderemos estudar, estamos muito triste, nem só nós também como os outros que estudam aqui”.
“Estão a destruir a nossa escola, não estou satisfeita com a destruição da escola, porque vou ficar muito tempo sem assistir aulas e, isso, vai complicar a mim e a nossos colegas”, lamentou Conceição Agostinho, 14 anos de idade e surpreendida com a demolição das salas de aulas.
O espaço em causa pertence ao partido no poder, antiga “Feira do Partido” e a limpeza visou preparar as condições para acolher amanhã de manha o acto político de massas a ser presidido pelo segundo integrante da lista do MPLA ao sufrágio universal, Manuel Domingos Vicente.
O director provincial da Educação, Gabriel Alexandre Boaventura entrevistado a propósito da decisão em pleno fim do segundo trimestre, justificou o facto, ao afirmar que é intenção do executivo local melhorar as condições de trabalho para os professores, alunos e pessoal de apoio nas escolas.
“As salas de aulas que estavam localizadas na então ´Feira´ Popular foram demolidas, em principio isso vem responder a nossa programação desde o inicio do ano, como vocês se aperceberam a escola Patrice Lumumba está a ser reabilitada e ampliada, justamente porque nós pensamos que dadas as condições em que se encontravam as salas de aulas que vocês referiram havia a necessidade de transferir as crianças que estudavam nessas salas para Patrice Lumumba”, justificou.
O responsável acrescentou que “a Patrice Lumumba ganhou mais cerca de oito salas, das quais essas crianças serão transferidas”.
No presente curso lectivo das estimativas de cinco mil crianças fora do sistema de ensino em toda a província de Malanje, o número triplicou por falta de dinheiro para construir várias salas de aula em detrimento do crescimento populacional.
“De cerca de quatro bilhões de kwanzas para de várias infra-estruturas tem haver com vários ramos, escolas, hospitais, portanto, o orçamento do Governo Provincial nos permite apenas construir, dentre 200 a 250 salas de aulas por ano”, esclareceu.
Uma fonte bem colocada admitiu que os encarregados de educação e pais dos estudantes ainda não foram contactados pelas direcções da escola da Feria e da Educação em relação a transferência dos respectivos educandos.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG